PUBLICIDADE
IPCA
-0,68 Jul.2022
Topo

Petrobras terá lucro maior e pagará até R$ 58 bilhões, projeta instituto

Governo federal será o maior favorecido pelo pagamento de dividendos da estatal  - Wagner Meier/Getty Images
Governo federal será o maior favorecido pelo pagamento de dividendos da estatal Imagem: Wagner Meier/Getty Images

Do UOL, em Brasília

27/07/2022 17h01

A Petrobras, que apresentará nesta quinta-feira (28) seu balanço referente ao segundo trimestre do ano, deve distribuir entre R$ 47 bilhões e R$ 58 bilhões em dividendos a seus acionistas. O cálculo é do (Ineep) Instituto de Estudos Estratégicos do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis. No balanço anterior, referente ao primeiro trimestre, a estatal de petróleo havia anunciado distribuição de R$ 48,5 bilhões em dividendos.

Pelos cálculos do Ineep, a estatal apresentará um lucro líquido de R$ 44,2 bilhões a R$ 60,4 bilhões no segundo trimestre. Conforme o instituto, os resultados positivos esperados se devem a três fatores principais. Nos primeiros três meses do ano, a estatal já havia registrado lucro de R$ 44,5 bilhões.

Petrobras ganha com combustível mais caro Em primeiro lugar, ao aumento da receita da companhia com a venda de combustíveis no Brasil. Como a Petrobras segue a política de PPI (Preços de Paridade de Importação), a alta dos derivados do petróleo no mercado internacional vem sendo repassada para os preços internos, o que impulsiona a receita da estatal.

Segundo as estimativas do Ineep, a Petrobras registrou vendas de R$ 162,9 bilhões no segundo trimestre, o que representa uma alta de 47% em relação ao mesmo período do ano passado.

Pré-sal é destaque na produção O segundo fator para os bons resultados, conforme o Ineep, está ligado à redução do custo de produção da companhia, sendo que o pré-sal é o destaque de produtividade.

A venda de ativos pela Petrobras é o terceiro motivo para os bons resultados no segundo trimestre.

Por que a Petrobras vai pagar dividendos? O Ministério da Economia solicitou às quatro maiores estatais controladas pela União — Petrobras (PETR3 e PETR4), BNDES, Banco do Brasil (BBAS3) e Caixa — que avaliem a possibilidade de antecipar o pagamento de novos dividendos ao governo federal.

A ideia é usar os dividendos de estatais federais que o governo receberia só no ano que vem para bancar agora parte do pacote de benefícios que ampliou o valor mínimo do Auxílio Brasil para R$ 600, dobrou o valor do vale-gás e criou "vouchers" para caminhoneiros e taxistas. Tudo isso gerou uma despesa adicional de R$ 41,25 bilhões para a União até o fim do ano.

Quem recebe os dividendos? Os dividendos serão pagos pela Petrobras a seus acionistas. A forma de pagamento também deve ser divulgada nesta quinta-feira.

Como o governo federal é o principal acionista da estatal, com 28,7% dos papéis, ele receberá entre R$ 13,5 bilhões e R$ 16,6 bilhões em dividendos, considerando os números do Ineep.

O BNDES, que possui 7,94% de participação na estatal, receberá dividendos entre R$ 3,7 bilhões e R$ 4,6 bilhões.

Os investidores em geral, ou seja, todos os que têm alguma ação da empresa, possuem 9,04% das ações e receberão entre R$ 4,2 bilhões e R$ 5,2 bilhões em dividendos, tomando-se por base os números do Ineep. Veja mais sobre esse pagamento de dividendos aqui.