IPCA
0,46 Jul.2024
Topo

Lula: 'Engraçado que mercado não ficou nervoso com Bolsonaro por 4 anos'

Do UOL, em São Paulo

10/11/2022 17h44Atualizada em 10/11/2022 20h07

Após tombo da Bolsa de Valores e a disparada do dólar, nesta quinta-feira (10), o presidente eleito Luiz Inácio Lula da Silva (PT) ironizou a reação do mercado financeiro devido à fala sobre o teto de gastos feita por ele mais cedo.

"O mercado fica nervoso à toa", iniciou Lula, com leve sorriso no rosto. "Eu nunca vi um mercado tão sensível como o nosso. É engraçado que esse mercado não ficou nervoso durante quatro anos [do governo] Bolsonaro", completou o petista a jornalistas, após sair de reunião de transição de governos, em Brasília. (Assista ao vídeo abaixo)

O dólar comercial fechou em forte alta de 4,14%, cotado a R$ 5,397, na sessão desta quinta. Já o Ibovespa, principal índice da Bolsa de Valores brasileira (B3), que reúne as empresas mais negociadas, chegou a registrar queda de mais de 3% ao longo do dia.

O mau humor do mercado ocorre após o discurso de Lula no CCBB (Centro Cultural Banco do Brasil) em Brasília, local sede da comissão de transição de governo, quando fez críticas à "estabilidade fiscal", ao defender que é preciso colocar a questão social na frente de temas que interessam, segundo ele, apenas ao mercado financeiro.

Segundo apuração, a opção de retirar as despesas do Auxílio Brasil do teto de forma permanente desagradou o mercado. Para o setor financeiro, a saída que vem sendo negociada pela equipe de transição, que também teria de ser feita via PEC, pode deteriorar a trajetória de sustentabilidade da dívida pública.

"Por que as pessoas são levadas a sofrerem por conta de garantir a tal da estabilidade fiscal desse País? Por que toda hora as pessoas falam que é preciso cortar gastos, que é preciso fazer superávit, que é preciso fazer teto de gastos? Por que as mesmas pessoas que discutem teto de gastos com seriedade não discutem a questão social neste País?", questionou ele.

Nos últimos dias, investidores também têm reagido mal aos primeiros sinais de que o ex-ministro Mantega poderia fazer parte da equipe de Lula.

Bolsonaro já provocou apreensão em mercado

Mas, diferentemente da afirmação de Lula, declarações do presidente Jair Bolsonaro também já provocaram apreensão no mercado financeiro.

No ano passado, por exemplo, a Bolsa despencou quase 4%, e o dólar, em forte alta de mais de 3%, após o mandatário ameaçar desobedecer decisões do STF (Supremo Tribunal Federal), em discursos de tom golpista nos atos de 7 de setembro, realizados em São Paulo e em Brasília.

Na ocasião, Bolsonaro incitou os seus apoiadores, xingou o ministro Alexandre de Moraes de "canalha" e pediu sua saída diante de cerca de 125 mil pessoas presentes na Avenida Paulista.

*Com informações da agência Estadão Conteúdo