IPCA
0,46 Jun.2024
Topo

IPCA: inflação sobe 0,71% em março, puxada pela alta da gasolina

Inflação desacelerou em março puxada pelo preço da gasolina - DANIEL TEIXEIRA/ESTADÃO CONTEÚDO
Inflação desacelerou em março puxada pelo preço da gasolina Imagem: DANIEL TEIXEIRA/ESTADÃO CONTEÚDO

Do UOL, em São Paulo

11/04/2023 09h01Atualizada em 11/04/2023 09h50

O IPCA (Índice de Preços ao Consumidor Amplo), a inflação oficial do país, ficou em 0,71% em março. Os dados foram divulgados hoje pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística).

O que dizem os dados?

O resultado de março foi pressionado pela alta do preço da gasolina. O combustível registrou alta de 8,33%. O etanol, por sua vez, subiu 3,20%.

O aumento nos combustíveis foi causado principalmente pelo retorno da cobrança de impostos federais em março, segundo o IBGE. O governo federal voltou a cobrar o PIS/Cofins no início do mês.

Inflação desacelerou na comparação com fevereiro. No mês anterior, o IPCA tinha ficado em 0,84%.

Em 12 meses, inflação também perdeu força. No acumulado em 1 ano, o índice ficou em 4,65% em março, o menor desde janeiro de 2021. No ano, a inflação acumula alta de 2,09%

Veja a inflação em março em cada um dos grupos pesquisados:

  • Transportes: 2,11%
  • Saúde e cuidados pessoais: 0,82%
  • Habitação: 0,57%
  • Comunicação: 0,50%
  • Despesas pessoais: 0,38%
  • Vestuário: 0,31%
  • Educação: 0,10%
  • Alimentação e bebidas: 0,05%
  • Artigos de residência: -0,27%

Planos de saúde e energia elétrica subiram

A energia elétrica residencial subiu 2,23%, impactando em 0,09 pontos percentuais o grupo de Habitação.

No grupo de Saúde e cuidados pessoais, o impacto maior foi causado pelo preço dos planos de saúde, que saltaram 1,20%

Como se calcula o IPCA?

O índice é calculado pelo IBGE desde 1980 e se refere às famílias com rendimento de 1 a 40 salários mínimos, residentes em áreas urbanas.

Entre as categorias consideradas para mapear o aumento, diminuição ou estabilidade geral nos preços, estão os custos com alimentação e bebidas, habitação, saúde, transportes, educação, entre outros.