IPCA
0,42 Fev.2024
Topo

IPCA: inflação no acumulado em 12 meses é a menor desde janeiro de 2021

Taxa de inflação em 12 meses é a menor desde janeiro de 2021 - Roberto Gardinalli/Futura Press/Estadão Conteúdo
Taxa de inflação em 12 meses é a menor desde janeiro de 2021 Imagem: Roberto Gardinalli/Futura Press/Estadão Conteúdo

Do UOL, em São Paulo

11/04/2023 09h21Atualizada em 11/04/2023 12h47

O IPCA (Índice de Preços ao Consumidor Amplo), a inflação oficial do país, ficou em 0,71% em março e em 4,65% no acumulado em 12 meses.

O que aconteceu

Inflação desacelerou. No acumulado em 12 meses até fevereiro, o índice tinha ficado em 5,60%.

A taxa de 4,65% em 12 meses é a menor em mais de 2 anos. No acumulado em 12 meses, é o melhor resultado desde janeiro de 2021, quando a taxa ficou em 4,56%. No ano, a inflação acumula alta de 2,09%.

IPCA do mês foi pressionado pela alta da gasolina. O preço do combustível subiu 8,33% no mês, sendo responsável por 0,39 ponto percentual do IPCA de março. O etanol aumentou 3,20%. Nos alimentos, destaque manda (28,92%), cenoura (28,58%) e ovo de galinha (7,64%).

Inflação desacelerou na comparação com fevereiro. No mês anterior, o IPCA tinha ficado em 0,84%. Em março de 2022, a variação havia sido de 1,62%. Preços do grupo Alimentação e Bebidas aumentaram 0,05% em março, após alta de 0,16% em fevereiro.

Inflação menos espalhada. Do total de itens pesquisados pelo IBGE, 60% registraram alta em março, contra 65% em fevereiro.

Expectativa para o ano é de inflação perto de 6%. A projeção do mercado para o IPCA de 2023 passou de 5,96% para 5,98%, segundo pesquisa Focus divulgada na segunda-feira (10) pelo Banco Central. Índice fechou 2022 em 5,79%.

Análise

Os resultados da gasolina e do etanol foram influenciados principalmente pelo retorno da cobrança de impostos federais no início do mês, estabelecido pela Medida Provisória 1157/2023. Havia, portanto, a previsão do retorno da cobrança de PIS/COFINS sobre esses combustíveis a partir de 1º de março.
André Almeida, analista do IBGE

Esse dado pode ajudar positivamente o cenário do Banco Central e, caso os dados continuem nessa tendência até a próxima reunião do Copom, a autoridade monetária poderá começar a discutir um afrouxamento da política monetária - nossa expectativa é de que o primeiro corte seja em agosto deste ano. Mas ressaltamos que esse não é o único ponto observado pelo BC. A autoridade monetária analisa o cenário internacional, as expectativas de inflação, o mercado de crédito, a atividade econômica, entre outros.
Gustavo Sung, economista-chefe da Suno Research

O IPCA veio abaixo do esperado pelo mercado. Para os próximos meses devemos observar como a reoneração dos combustíveis deve impactar no índice. Além disso, para o fim do semestre, devemos ver um aumento na variação anual, pois vai pegar os meses de 2022 que tiveram a maior variação no índice, portanto o Copom pode vir a soltar um comunicado mais leve na próxima reunião, mas deve continuar adotando ainda uma postura mais conservadora em relação aos juros.
André Fernandes, head de renda variável e sócio da A7 Capital

Como se calcula o IPCA?

  • O índice é calculado pelo IBGE desde 1980 e se refere às famílias com rendimento de 1 a 40 salários mínimos, residentes em áreas urbanas.
  • Entre as categorias consideradas para mapear o aumento, diminuição ou estabilidade geral nos preços, estão os custos com alimentação e bebidas, habitação, saúde, transportes, educação, entre outros.