Enel de SP teve lucro bilionário: qual o tamanho dela no Brasil e no mundo?

O Grupo Enel é uma das maiores empresas do setor elétrico do mundo e, no Brasil, é responsável por distribuir energia para 14 milhões de clientes, em 274 cidades. A Enel atua no estado desde 2018, quando comprou o controle da Eletropaulo Metropolitana. Desde então, o lucro dobrou, o número de residências atendidas aumentou mais de 7%, e o número de funcionários foi cortado em 36%.

O prefeito de São Paulo, Ricardo Nunes (MDB), disse nesta quinta-feira (16) que pediu à Aneel (Agência Nacional de Energia Elétrica) que cancele o contrato de concessão com a Enel. O prefeito elencou problemas que a prefeitura tem enfrentado com a Enel, mesmo antes da tempestade que deixou milhões sem luz no início do mês. Segundo ele, há cinco UBS aguardando para a ligação de energia, assim como um conjunto habitacional na Vila Olímpia. Nunes disse que também notificou o Procon.

Quem é a Enel no mundo?

A Enel é uma multinacional italiana presente em 30 países. Considerada uma das maiores empresas do setor elétrico do mundo, com presença na América, África, Ásia, Oceania e Europa e mais de 2 milhões de quilômetros de redes elétricas.

Governo italiano tem participação na empresa. O Ministério de Economia e Finanças da Itália detém uma fatia de 23,59% do grupo Enel. Ela foi criada em 1962, como uma fusão de milhares de produtores de energia.

Diz ser a maior distribuidora de eletricidade no mundo, em número de clientes. São 70 milhões de consumidores, 67 mil colaboradores próprios e receita líquida de 108 bilhões de euros em 2022, segundo a apresentação institucional da companhia.

Qual o tamanho da Enel no Brasil?

A Enel Brasil é o braço brasileiro da companhia. O grupo Enel é o principal acionista da Enel Américas S.A, dona da Enel Brasil.

No Brasil, atua na geração, distribuição e comercialização de energia elétrica. Tem mais de 3.190 clientes no mercado de energia livre. No segmento de geração de energia, tem 14 parques de energia eólica, 27 parques de energia hídrica e sete de energia solar.

Tem três distribuidoras: em São Paulo, no Rio de Janeiro e no Ceará. Até dezembro de 2022, também atuava em Goiás, quando vendeu sua distribuidora no estado.

Continua após a publicidade

É responsável por distribuir energia para mais 14 milhões de clientes, em 274 cidades. A distribuição é feita pelas subsidiárias: Enel Distribuição Ceará (4 milhões, 184 municípios), Enel Distribuição Rio de Janeiro (3 milhões, 66 cidades) e Enel Distribuição São Paulo (7,7 milhões, 24 municípios).

Em 2022, teve receita operacional de R$ 49,52 bilhões. O prejuízo líquido no ano passado foi de R$ 1,07 bilhão, segundo os últimos números divulgados.

Qual o tamanho da Enel em São Paulo

A distribuidora de São Paulo é a segunda maior do país, segundo a companhia. Em São Paulo, São 43 mil quilômetros de redes elétricas, distribuídos para mais de 20 milhões de pessoas.

São 24 cidades, somando cerca de 7,7 milhões de clientes. No dia 3 de novembro, mais de 2 milhões de pessoas ficaram sem energia, o que representa 27% de todos os clientes da empresa no estado.

A subsidiária de São Paulo tem 8,77% de participação de mercado, em número de clientes, de todo o Brasil. São 7,28 milhões de clientes residenciais, que representam, pelos cálculos da empresa, 18,4 milhões de habitantes. Além disso, atende 24 mil indústrias, 415 mil comércios, 555 clientes no setor rural e 19,57 mil no setor público.

Continua após a publicidade

Em São Paulo, ela tem 42.448 quilômetros de linhas de transmissão.

Cortou 36% dos colaboradores em São Paulo desde 2019. Os colaboradores da Enel caíram de 23.385 para 15.366 em quase quatro anos, incluindo funcionários próprios e terceirizados.

Já o número de clientes aumentou. Em 2018, eram 7,23 milhões de clientes, sendo 6,78 milhões de residências. Ou seja, o número de clientes totais subiu 6,5% e o número de residências atendidas aumentou 7,37%.

Lucro dobrou em quatro anos. Em 2022, o lucro da Enel São Paulo foi de R$ 1,41 bilhão. Em 2019, primeiro ano completo de atuação da Enel em São Paulo, o lucro foi de R$ 777,07 milhões. No primeiro semestre do ano, a Enel em São Paulo teve lucro de R$ 905 milhões.

Qual a história da Enel no Brasil?

A Enel chegou ao Brasil por meio da compra de uma empresa espanhola. Em 2007, a Enel adquiriu a Endesa, espanhola do setor de energia, e teve acesso aos ativos brasileiros da empresa no Ceará e no Rio de Janeiro.

Continua após a publicidade

Chegou a atuar em Goiás. Em 2016, a Enel comprou a CELG-D, concessionária que distribui energia em Goiás, por R$ 2 bilhões, segundo dados do BNDES. Em dezembro de 2022, porém, a CELG-D foi vendida para a Equatorial Energia S.A, empresa do mesmo setor.

Chegou em São Paulo em 2018. Foi quando ela adquiriu o controle da Eletropaulo Metropolitana. Trata-se da fatia da ex-estatal responsável pela distribuição de energia elétrica em 24 municípios da Grande São Paulo.

A Eletropaulo era uma empresa estatal criada em 1981 no governo de Paulo Maluf. Em 1998, ela foi desmembrada. A Eletropaulo Metropolitana foi comprada em leilão pelo consórcio Lightgás. Em 2001, passou a se chamar AES Eletropaulo, nome que manteve até novo leilão.

A aquisição da Eletropaulo Metropolitana pela Enel ocorreu em um leilão na Bolsa de Valores brasileira (B3). A Enel arrematou 73,4% das ações da empresa por R$ 5,5 bilhões. O restante das ações disponíveis no mercado foi comprado ao longo do tempo.

Após a compra, a Eletropaulo passou a se chamar Enel Distribuição São Paulo. Passou a distribuir energia para Pirapora do Bom Jesus, Cajamar, Santana de Parnaíba, Barueri, Osasco, Carapicuíba, Jandira, Itapevi, Vargem Grande Paulista, Cotia, Taboão da Serra, São Lourenço da Serra, Embu-Guaçu, Juquitiba, São Paulo, Diadema, São Caetano do Sul, São Bernardo do Campo, Santa André, Rio Grande da Serra, Ribeirão Pires e Mauá.

Veja também

Deixe seu comentário

Só para assinantes