Bolsas

Câmbio

Worldsteel eleva previsão de crescimento da demanda mundial de aço em 2017

Por Maytaal Angel

LONDRES (Reuters) - A demanda mundial por aço crescerá mais do que o previsto em 2017 devido à recuperação das economias desenvolvidas e ao crescimento acelerado dos mercados emergentes e em desenvolvimento, especialmente Rússia, Brasil e Índia, afirmou um órgão da indústria nesta sexta-feira.

A demanda deve ter expansão de 1,3 por cento em 2017 a 1,535 bilhão de toneladas e 0,9 por cento em 2018, para 1,549 bilhão de toneladas, disse a World Steel Association (Worldsteel) .

A Worldsteel, que representa mais de 160 produtores de aço responsáveis ​​por 85 por cento da produção mundial, previra em outubro que a demanda cresceria 0,5 por cento este ano.

O setor de aço, que gira cerca de 900 bilhões de dólares por ano, é vista como um indicador da saúde econômica do mundo.

"Esperamos que Rússia e Brasil finalmente saiam da recessão e, após o choque cambial, a economia indiana deverá retomar o crescimento", disse a Worldsteel.

"No entanto, a China, que responde por 45 por cento da demanda mundial de aço, deve retornar a uma taxa de crescimento mais moderada após sua recente subida", afirmou em comunicado.

A Worldsteel espera que a demanda chinesa por aço fique estável neste ano em 681 milhões de toneladas e caia 2 por cento no próximo ano, para 667,4 milhões de toneladas, à medida que os efeitos do estímulo do governo no ano passado, impulsionado pela infraestrutura, diminuam.

Em contraste, o grupo espera que a demanda de aço em economias emergentes e em desenvolvimento, excluindo a China, cresça 4 por cento este ano, para 452,7 milhões de toneladas, e 4,9 por cento em 2018, para 474,9 milhões de toneladas.

A Worldsteel elevou a projeção de crescimento da demanda de 2016 de 0,2 por cento para 1 por cento, principalmente porque o estímulo impulsionado pela infraestrutura de Pequim resultou em aumento mais acentuado que o esperado de aço na China.

Os preços do aço subiram devido à crescente demanda e cortes de capacidade na China, juntamente com uma série de medidas anti-dumping que derrubaram as exportações chinesas de aço de níveis recorde de 2015.

De acordo com os consultores da indústria Meps, os preços subiram cerca de 45 por cento desde dezembro de 2015, quando atingiram as mínimas em 12 anos.

(Reportagem de Maytaal Angel)

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos