ipca
0,48 Set.2018
selic
6,5 19.Set.2018
Topo

Wall St despenca com investidores evitando risco por medo de guerra comercial

Sinéad Carew

23/03/2018 18h42

NOVA YORK, 23 Mar (Reuters) - Wall Street despencou nesta sexta-feira, com mais de 1.000 pontos eliminados do Dow em dois dias, à medida que investidores, cada vez mais nervosos sobre uma possível guerra comercial entre Estados Unidos e China, se afastaram do risco antes do fim de semana e buscaram abrigo contra perdas maiores.

O Dow Jones caiu 1,77%, a 23.533 pontos, o S&P 500 recuou 2,1%, a 2.588 pontos, após atingir uma mínima intradia que ficou pouco acima de sua média móvel de 200 dias de 2.585 pontos. O Nasdaq perdeu 2,43%, a 6.992 pontos.

Na semana, o Dow caiu 5,67%, o S&P 500 caiu 5,95% e o Nasdaq caiu 6,54%, registrando suas maiores quedas percentuais semanais desde janeiro de 2016.

Leia também:

Em uma sessão volátil, o S&P 500 quase alcançou sua média móvel de 200 dias, um nível técnico chave. O índice de referência também se aproximou de sua mínima de fevereiro, que marcou uma correção, fechando 9,9% abaixo de sua máxima recorde de 26 de janeiro.

"Há preocupação sobre como a guerra comercial se pareceria. Investidores querem gerir seu risco. Se isso escalar rapidamente, poderia ser um grande revés para o mercado", disse Peter Kenny, estrategista sênior de mercado do Global Markets.

Tarifas

Os planos do presidente Donald Trump de impor tarifas em até US$ 60 bilhões em produtos chineses aproximou as duas maiores economias do mundo de uma guerra comercial, à medida que a China declarou planos de tarifar até US$ 3 bilhões em importações dos EUA, incluindo frutas e vinho, ainda que tenha pedido aos Estados Unidos que recuasse.

O Dow fechou em queda de 11,6% na comparação com a sua máxima de 26 de janeiro e alcançou seu menor fechamento desde que confirmou uma correção em fevereiro.

O Índice de Volatilidade do CBOE, o medidor mais amplamente acompanhado de volatilidade esperada para o curto prazo no S&P 500, fechou em alta de 1,53 ponto, a 24,87 pontos, maior fechamento desde 13 de fevereiro.

(Por Sinéad Carew; reportagem adicional de Caroline Valetkevitch, Saqib Iqbal Ahmed, April Joyner e Sruthi Shankar)

Newsletters

Receba dicas para investir e fazer o seu dinheiro render.

Quero receber

Mais Economia