Bolsas

Câmbio

ANP descarta instituir frequência mínima de reajustes de combustíveis

Por Marta Nogueira

SÃO PAULO (Reuters) - A ANP (Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis) definiu, após realização de consulta pública, que não vai definir uma frequência mínima de reajustes de preços dos combustíveis no Brasil, afirmou nesta quinta-feira (19) o diretor-geral, Décio Oddone.

No entanto, a autarquia chegou à conclusão de que será necessária a criação de uma resolução que trará mais transparência para o setor de combustíveis, em resposta a uma paralisação histórica de caminhoneiros de 11 dias em maio, contra os altos preços do diesel, que causou grandes prejuízos à economia brasileira.

Leia também:

Uma minuta de resolução será colocada em consulta pública em cerca de 30 dias e novas regras poderão entrar em vigor em cerca de 60 dias, disse Oddone a jornalistas.

As conclusões vieram após a autarquia considerar 146 manifestações durante uma Tomada Pública de Contribuições sobre a periodicidade de repasse dos reajustes dos preços de combustíveis, entre 11 de junho a 2 de julho.

Veja dicas para economizar combustível no seu carro

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos