IPCA
0.11 Ago.2019
Topo

Dólar cai ante real com redução dos temores no exterior por dados da China

08/08/2019 09h06

SÃO PAULO (Reuters) - O dólar recuava ante o real nesta quinta-feira, acompanhando o exterior, onde dados positivos da China acalmaram parte dos temores ligados à disputa comercial entre chineses e norte-americanos, e tendo como pano de fundo a conclusão da votação da reforma da Previdência na Câmara, que agora seguirá ao Senado

Às 10:21, o dólar recuava 0,55%, a 3,9531 reais na venda.

Na véspera, o dólar fechou em alta de 0,48%, a 3,9749 reais na venda.

O dólar futuro de maior liquidez perdia cerca de 0,3% neste pregão.

Do cenário externo, dois fatores colaboraram para amenizar em parte o sentimento de aversão ao risco que prevaleceu na véspera ligado à disputa comercial entre Estados Unidos e China.

Dados divulgados nesta quinta-feira mostraram que as exportações de julho na China cresceram 3,3% em relação ao ano anterior, enquanto analistas esperavam uma queda de 2%. Foi o ritmo mais forte desde março.

Autoridades chinesas também fixaram o valor diário do iuan em um nível mais firme do que muitos esperavam, sinalizando intenção de estabilizar a queda da moeda.

"Essa sinalização da China, ou a expectativa de que a China aliviará um pouco as pressões, acaba trazendo um alívio, até porque a (aprovação da reforma da) Previdência já estava na conta", disse o analista-chefe da Geral Asset, Carlos Müller.

Entretanto, apesar da melhora neste pregão, investidores reiteram que a volatilidade e a cautela permanecem no mercado e não descartam uma rápida reversão do movimento, com agentes ainda posicionados em ativos seguros e defensivos.

Em evento em São Paulo nesta manhã, o presidente do Banco Central, Roberto Campos Neto, reconheceu que a tensão comercial está começando a afetar alguns mercados emergentes.

Do cenário local, a Câmara dos Deputados concluiu no fim da noite de quarta-feira a votação em segundo turno da reforma da Previdência, com parlamentares rejeitando todos os destaques apresentados. O texto seguirá agora ao Senado.

As expectativas para a tramitação do texto no Senado são positivas, sob a percepção de que o caminho da matéria na Câmara seria mais tumultuado.

O presidente da Casa, Davi Alcolumbre (DEM-AP), disse no Twitter que o texto da reforma deve chegar ao Senado às 12h e que ele fará a leitura da PEC no plenário e em seguida a encaminhará à Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) do Senado.

O BC realiza nesta sessão leilão de até 11 mil contratos de swap cambial tradicional, correspondentes à venda futura de dólares, para rolagem do vencimento outubro de 2019.

(Por Laís Martins)

Mais Economia