PUBLICIDADE
IPCA
0,86 Out.2020
Topo

Ibovespa recua com tensão externa e teto para juros no Brasil

07/08/2020 11h21

Por Paula Arend Laier

SÃO PAULO (Reuters) - O tom negativo prevalecia na bolsa paulista nesta sexta-feira, com o Ibovespa caminhando para terminar a semana quase no zero a zero, contaminado pelo aumento da tensão nas relações entre Estados Unidos e China, enquanto, no Brasil, o Senado aprovou teto para juros de cartão de crédito e cheque especial.

Às 11:12, o Ibovespa caía 0,75 %, a 103.343,76 pontos. O volume financeiro somava 5,55 bilhões de reais.

No exterior, os EUA proibiriam os aplicativos chineses de mensagens WeChat e de compartilhamento de vídeo TikTok, aumentando um confronto com Pequim sobre o futuro da indústria global de tecnologia.

A China disse que as empresas do país cumprem as leis e regulamentações norte-americanas e alertou que os EUA teriam de "arcar com as consequências" de sua ação.

Em Nova York, o S&P 500 perdia 0,2%, tendo como contrapeso um relatório do mercado de trabalho norte-americano, com criação de vagas acima do esperado em julho e queda na taxa de desemprego.

"O 'payroll' de julho surpreendeu positivamente as expectativas do mercado, indo na contramão das indicações antecedentes divulgadas ao longo da semana", avaliou o estrategista-chefe do banco digital modalmais, Felipe Sichel, conforme nota a clientes.

"Para frente, contudo, apesar da surpresa positiva, explicada em parte pela elevadíssima dispersão nas expectativas, ele afirmou esperar uma perda do momento positivo visto ao longo dos últimos três meses.

Ainda da pauta externa, as exportações chinesas em julho tiveram a maior alta do ano, enquanto algumas importações de matérias-primas atingiram máximas recordes.

No Brasil, o projeto aprovado no Senado, entre outras medidas, limita os juros para o crédito rotativo do cartão de crédito e todas as demais modalidades de crédito por meio de cartões de crédito e da linha de crédito do cheque especial a 30% ao ano durante o estado de calamidade pública.

Para analistas do BTG Pactual, "sem dúvida a notícia é ruim, mas o desfecho poderia ter sido ainda pior" se a decisão fosse por tempo indeterminado. O texto segue para a Câmara dos Deputados e a equipe do BTG disse que o 'feedback' é de que a probabilidade de aprovação é bem menor, segundo nota a clientes.

DESTAQUES

- ITAÚ UNIBANCO PN perdia 1,92% e BRADESCO PN cedia 1,37%, tendo no radar aprovação pelo Senado de teto para juros de cartão de crédito e cheque especial. SANTANDER BRASIL ON e BANCO DO BRASIL recuavam 2,36% e 1,69%, respectivamente. Fora do Ibovespa, BANCO BMG PN avançava 5,57%, após resultado trimestral e venda de 40% da sua corretora de seguros para a WIZ, que subia 0,1%.

- PETROBRAS PN e PETROBRAS ON recuavam 2,11% e 2,18%, na esteira do declínio dos preços do petróleo no exterior, onde o Brent caía 1,31%. A companhia anunciou novos movimentos associados ao seu plano de desinvestimentos, bem como que aprovou a hibernação da plataforma de Merluza (pmlz-1), na Bacia de Santos, e recorde em vendas internas de diesel S-10 em julho.

- VALE ON perdia 1,68%, tendo de pano de fundo queda nos contratos futuros do minério de ferro na China depois que a Dalian Commodity Exchange alertou os clientes quanto ao comportamento irracional do mercado.

- CIELO ON caía 3,57%, após fechar em alta de 10,67% na véspera em meio a comentários do presidente do Banco do Brasil de que está conversando com o Bradesco sobre potencial divisão dos ativos do setor de cartões que ambos mantêm em conjunto, sem dar nomes. Entre os ativos, está a empresa de meios de pagamentos. No final da quinta-feira, o Bradesco afirmou que está em "conversas iniciais" com outros acionistas sobre eventual operação envolvendo a Elo Serviços, dona da bandeira de cartões Elo, outra parceria que inclui o BB, mas que não houve "decisão concreta" a respeito.

- IRB BRASIL RE ON avançava 2,55%, no segundo dia de recuperação, caminhando para fechar a primeira semana de agosto no azul, após queda de mais de 20% no mês passado.

- COGNA ON subia 1,24%, ensaiando recuperação, após acumular na semana até a véspera perda de mais de 12%, na esteira de uma estreia fraca da sua subsidiária de educação básica Vasta na bolsa norte-americana Nasdaq após precificar IPO na semana passada. No setor de educação, YDUQS ON perdia 2,22%.

- MULTIPLAN ON perdia 1,82%, em sessão de ajustes no setor de shopping centers após fortes altas nos últimos pregões, um dia após divulgar lucro de 70,8 milhões de reais no segundo trimestre, queda de cerca de 39% no comparativo anual, pressionada pelos impactos das medidas de isolamento social. BRMALLS ON caía 2,74% e IGUATEMI ON recuava 0,71%.

- NOTRE DAME INTERMÉDICA ON subia 0,74%, após lucro líquido de 223,4 milhões de reais no segundo trimestre, mais do que dobrando o resultado de um ano antes, de 89,6 milhões de reais, em período marcado por crescimento de receitas e margens, além da conclusão de algumas aquisições.