PUBLICIDADE
IPCA
0,26 Jun.2020
Topo

Low cost têm aviões mais lotados do que aéreas tradicionais em 4 de 6 rotas

Divulgação/Floripa Airport
Imagem: Divulgação/Floripa Airport

Vinícius Casagrande

Colaboração para o UOL, em São Paulo

04/03/2020 04h00

Resumo da notícia

  • Aéreas voam com aviões mais cheios que as companhias tradicionais que operam as mesmas rotas
  • Índice é importante para medir o aproveitamento e a rentabilidade do voo
  • A única que tem taxa de ocupação menor é a Norwegian, mas empresa leva mais passageiros por voo pela capacidade do avião

As companhias aéreas de baixo custo, conhecidas como low cost, são líderes em taxa de ocupação em quatro das seis rotas em que concorrem com as empresas tradicionais no Brasil. Isso significa que essas companhias conseguem decolar com aviões mais cheios dos que as principais concorrentes. O índice é importante para mostrar a eficiência das operações. Quanto menos assentos vazios, maior a rentabilidade de cada voo.

Apesar de voar com aviões mais cheios, as companhias aéreas de baixo custo perdem no total de passageiros transportados. É que essas empresas geralmente contam com um número inferior de voos. Em alguns casos, os aviões também têm menor capacidade.

O UOL apurou dados de taxa de ocupação, total de passageiros pagos e números de decolagens no sistema Consulta Interativa - Indicadores do Mercado de Transporte Aéreo da Anac (Agência Nacional de Aviação Civil) em relação ao mês de janeiro deste ano.

A chilena Sky tem taxas de ocupação mais altas que as concorrentes em todas as rotas em que opera. A empresa tem voos de Santiago (Chile) para São Paulo, Rio de Janeiro e Florianópolis (SC), rotas nas quais concorre com Latam e Gol. A empresa também voa entre Santiago e Salvador (BA), mas a concorrência é apenas com a também low cost JetSmart. A Sky começou a voar para o Brasil no final de 2018.

A argentina Flybondi inaugurou suas operações no Brasil em outubro do ano passado com voos entre Buenos Aires (Argentina) e Rio de Janeiro. Em dezembro, a empresa deu início aos voos sazonais para Florianópolis. A taxa de ocupação da Flybondi está acima da média geral para as rotas. A empresa é líder em taxa de ocupação entre Florianópolis e Buenos, mas é a segunda colocada neste critério na rota entre Buenos Aires e Rio de Janeiro, onde perde para a Latam.

A Norwegian, que inaugurou seu voo entre Rio de Janeiro e Londres (Reino Unido) no final de março do ano passado, tem taxa de ocupação inferior em relação à concorrência. Além da Norwegian, a British Airways é a única companhia aérea que também opera na mesma rota. Apesar de voar com mais assentos vazios, a Norwegian leva mais passageiros por voo, já que a capacidade de seus aviões é maior.

A JetSmart é outra companhia aérea de baixo custo com voos no Brasil. A empresa começou a operar no país apenas no final de dezembro. Até o momento, há voos apenas de Santiago para Salvador e Foz do Iguaçu, sem concorrência com companhias tradicionais. Na rota de Santiago para Salvador, a ocupação da JetSmart é menor que a da também low cost Sky. Já na rota entre Santiago e Foz do Iguaçu, a empresa é a única a ter voos entre as duas cidades.

Veja as taxas de ocupação para o mês de janeiro nas rotas operadas por companhias aéreas low cost:

Santiago - Rio de Janeiro

  • Ocupação média: 79,7% (57.112 passageiros e 401 voos)
  • Sky: 87,4% (17.397 passageiros e 107 voos)
  • Latam: 79,9% (31.902 passageiros e 232 voos)
  • Gol: 75,9% (4.570 passageiros e 33 voos)
  • Emirates: 65,1% (3.243 passageiros e 27 voos)

Santiago - São Paulo

  • Ocupação média: 75,1% (98.921 passageiros e 646 voos)
  • Sky: 84,8% (8.518 passageiros e 54 voos)
  • Gol: 75,4% (14.890 passageiros e 112 voos)
  • Latam: 74,1% (75.513 passageiros e 456 voos)

Santiago - Florianópolis

  • Ocupação média: 81,1% (16.283 passageiros e 114 voos)
  • Sky: 90,6% (8.766 passageiros e 52 voos)
  • Latam: 72,3% (7.517 passageiros e 62 voos)

Buenos Aires - Florianópolis

  • Ocupação média: 73,2% (41.096 passageiros e 335 voos)
  • Flybondi: 88,1% (5.662 passageiros e 34 voos)
  • Latam: 81% (11.412 passageiros e 79 voos)
  • Aerolíneas Argentinas 68,4% (17.349 passageiros e 150 voos)
  • Gol: 65,3% (6.673 passageiros e 72 voos)

Buenos Aires - Rio de Janeiro

  • Ocupação média: 77% (82.910 passageiros e 646 voos)
  • Latam: 92% (10.385 passageiros e 68 voos)
  • Flybondi: 83,6% (5.690 passageiros e 36 voos)
  • Emirates: 83,5% (3.825 passageiros e 36 voos)
  • Aerolíneas Argentinas: 74,2% (43.239 passageiros e 342 voos)
  • Gol: 71,9% (19.771 passageiros e 164 voos)

Londres - Rio de Janeiro

  • Ocupação média: 81,8% (18.874 passageiros e 87 voos)
  • British Airways: 86,9% (9.513 passageiros e 51 voos)
  • Norwegian: 77,3% (9.361 passageiros e 36 voos)

Veja mais economia de um jeito fácil de entender: @uoleconomia no Instagram.
Ouça os podcasts Mídia e Marketing, sobre propaganda e criação, e UOL Líderes, com CEOs de empresas.
Mais podcasts do UOL em uol.com.br/podcasts, no Spotify, Apple Podcasts, Google Podcasts e outras plataformas.

Veja caminho que sua mala faz no aeroporto depois de despachada

UOL Notícias

Todos a Bordo