PUBLICIDADE
IPCA
0,87 Ago.2021
Topo

Todos a Bordo

REPORTAGEM

Texto que relata acontecimentos, baseado em fatos e dados observados ou verificados diretamente pelo jornalista ou obtidos pelo acesso a fontes jornalísticas reconhecidas e confiáveis.

O que são esses objetos que parecem bombas na ponta das asas de aviões?

Learjet 25 da Nasa, com tanques de combustível na ponta da asa - Nasa
Learjet 25 da Nasa, com tanques de combustível na ponta da asa
Imagem: Nasa

Alexandre Saconi

Colaboração para o UOL, em São Paulo

05/09/2021 04h00

Em diversos aviões militares ou civis, é possível ver um objeto com um formato similar a uma bomba preso à asa, seja na ponta, seja na parte de baixo. Embora possam parecer algo com finalidade bélica, esses dispositivos ajudam o avião a voar.

Esses objetos são, na verdade, tanques de combustível extras. Alguns fazem parte do projeto original do avião e são fixos, Outros são descartáveis em voo, como nos caças.

Nos aviões, os tanques geralmente ficam na "barriga" ou dentro das asas. Quando há a necessidade de aumentar o alcance da aeronave, esses reservatórios de combustível são adicionados aos aviões.

F-15E - Sgt. Christopher Drzazgowski/Força Aérea dos EUA - Sgt. Christopher Drzazgowski/Força Aérea dos EUA
F-15E Strike Eagle com tanques externos sob as asas
Imagem: Sgt. Christopher Drzazgowski/Força Aérea dos EUA

Uso civil

Em aeronaves de uso civil, o tanque de ponta de asa, que também é chamado de tip tank, não é descartável em voo. Ele é adicionado ao avião para aumentar a distância que pode ser voada, geralmente devido à instalação de motores que consomem mais combustível ou para atender a uma demanda do mercado por maior alcance.

Cessna 310 com reservatório externo de combustível pousa no aeroporto de Las Vegas, nos EUA - Divulgação/Tomás Del Coro - Divulgação/Tomás Del Coro
Cessna 310 com reservatório externo de combustível pousa no aeroporto de Las Vegas, nos EUA
Imagem: Divulgação/Tomás Del Coro

Um dos aviões civis mais famosos com um tanque na ponta das asas é o Learjet 25D, o mesmo que levava o grupo Mamonas Assassinas em 1996, quando colidiu com a serra da Cantareira, em SP, matando todos a bordo.

Em 1955, a Varig começou a voar para Nova York, o primeiro trecho internacional da companhia fora da América do Sul. A rota foi feita com um Super Constellation com um tanque reserva na ponta das asas para aumentar o alcance do avião.

Aviões militares

Tanque - Sgt. Servante Coba/Marinha dos EUA - Sgt. Servante Coba/Marinha dos EUA
Militares dos EUA removem o tanque externo de um McDonnell Douglas AV-8B Harrier II
Imagem: Sgt. Servante Coba/Marinha dos EUA

Em aviões militares, o tanque reserva se parece mais ainda com uma bomba. Tanto pelo seu formato aerodinâmico quanto pelas aletas na parte de trás, conhecidas como empena traseira

Assim como nos aviões civis, esses reservatórios buscam aumentar o alcance das aeronaves e podem ser encontrados tanto em modelos de caça, como de ataque ou cargueiros. Podem chegar a levar mais de 1.200 litros, dependendo do modelo do avião e de onde será utilizado.

Um dos principais diferenciais em relação ao modelo para uso civil é a capacidade de descartar esses tanques em voo. Isso pode ser necessário para deixar o avião mais leve, e ele é projetado para que, ao ser solto, não corra o risco de bater no corpo da aeronave.

C-130 - Randis Monroe/Exército dos Estados Unidos - Randis Monroe/Exército dos Estados Unidos
Avião Cargueiro C-130 com tanques de combustível externos sob as asas
Imagem: Randis Monroe/Exército dos Estados Unidos

O caça F-22, o cargueiro C-130 e o modelo de ataque A-29 Super Tucano são exemplos de aviões que podem carregar reservatórios externos para melhorar sua performance.

No caso dos caças, esse tanque ajuda o avião a chegar ao seu destino carregado de armamentos. Após cumprir a missão, com o tanque deixado para trás, ele volta mais leve, o que consome menos combustível.

No Vietnã, os tanques reservas que foram abandonados pelos pilotos dos Estados Unidos ganharam uma nova funcionalidade com o passar dos anos. Eles foram cortados e passaram a servir de barco para as pessoas se locomoverem por rios no país.

Casulo logístico

casulo - Reprodução/Equipaer/Mac Jee - Reprodução/Equipaer/Mac Jee
Casulo logístico, também chamado de pod, e tanque externo em um A-29 Super Tucano
Imagem: Reprodução/Equipaer/Mac Jee

Esses tanques também podem ser um casulo logístico, chamado de pod. Em aviões sem espaço interno para carregar objetos, como o A-29 Super Tucano, ele é colocado do lado de fora para transporte de diversos materiais.

Entre eles, destacam-se equipamentos médicos, de vigilância, armamentos, alvos aéreos (utilizados para treinamento de ataque das aeronaves), entre outros.

Fonte: José Eduardo Mautone, professor do curso de engenharia aeroespacial da UFMG

Armazém de tanque - Kimberly Barrera/Departamento de Defesa dos EUA - Kimberly Barrera/Departamento de Defesa dos EUA
Armazenagem vertical de tanques externos de caças modelo F-15E Strike Eagle, em base aérea nos EUA
Imagem: Kimberly Barrera/Departamento de Defesa dos EUA

PUBLICIDADE