PUBLICIDADE
IPCA
0,87 Ago.2021
Topo

Todos a Bordo

REPORTAGEM

Texto que relata acontecimentos, baseado em fatos e dados observados ou verificados diretamente pelo jornalista ou obtidos pelo acesso a fontes jornalísticas reconhecidas e confiáveis.

Avião que caiu em Piracicaba é de 2019; modelo tem poucos acidentes

Avião Super King Air B200GT - Divulgação
Avião Super King Air B200GT Imagem: Divulgação

Alexandre Saconi

Colaboração para o UOL, em São Paulo

14/09/2021 17h54

O avião que caiu na manhã desta terça-feira (14) poucos segundos após decolar em Piracicaba (SP) era novo, e foi fabricado em 2019. No acidente, todos os ocupantes morreram.

A aeronave, um Beechcraft Super King Air B200GT, de matrícula PS-CSM, estava registrada para ser operada pela empresa CSM Agropecuária desde aquele ano e encontrava-se em situação regular. Com preço inicial em torno de US$ 5,8 milhões (R$ 30,5 mi), esse é um dos modelos mais recentes da família King Air, fabricada há quase 60 anos.

No país, existem apenas 57 exemplares do modelo em situação regular de voo, segundo dados disponíveis no site da Anac (Agência Nacional de Aviação Civil).

Aeronave comporta até 9 passageiros

O B200GT é um bimotor lançado em 2007, movido pelos motores Pratt & Whitney PT6A-52. Sua capacidade é para até nove passageiros, e comporta um lavabo.

Ele tem 4,5 m de altura, 13,4 m de comprimento e envergadura (distância de ponta a ponta das asas) de 16,6 m. Seu interior tem 5,1 metros de comprimento, 1,45 de altura e 1,37 de largura.

Esse modelo atinge velocidade máxima de 564 km/h, podendo voar até cerca de 2.950 km sem precisar reabastecer. Sua altitude máxima de voo é de 10,6 km, levando uma carga de até uma tonelada, aproximadamente.

Poucos acidentes

A família do Super King Air, que inclui outras variações do modelo B200GT, tem registros de apenas dois acidentes no país nos últimos dez anos, segundo dados disponibilizados pelo Cenipa (Centro de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos), órgão ligado à FAB (Força Aérea Brasileira).

Nos dois acidentes, ocorreu o que é classificado como voo controlado contra o terreno. Nas duas situações, todos a bordo morreram com a colisão com o solo enquanto o avião estava voando normalmente.

Esse tipo de acidente ocorre quando há uma falha de orientação sobre o local onde o voo estava sendo realizado. Com isso, o piloto perde a referência e acaba colidindo como solo enquanto pensava estar em outra posição, geralmente, voando mais alto.

Acidente em Piracicaba

avião - Reprodução/Corpo de Bombeiros - Reprodução/Corpo de Bombeiros
Avião cai no meio da mata na região de Piracicaba, interior de São Paulo
Imagem: Reprodução/Corpo de Bombeiros

Na queda, ocorrida na manhã desta terça-feira (14) em Piracicaba, no interior de São Paulo, todas as sete pessoas que a bordo morreram. O avião levava piloto Celso Elias Carloni, copiloto Giovani Gulo, o agropecuarista Celso Silveira de Mello Filho, 73, além de sua esposa, Maria Luiza Meneghel, 71, e os três filhos do casal, os gêmeos Celso e Fernando (46 anos) e Camila (48).

A viagem da família tinha como destino o estado do Pará, onde o agropecuarista tinha fazendas. Não houve vítimas em solo, e as causas da queda ainda serão investigadas.

PUBLICIDADE