PUBLICIDADE
IPCA
-0,68 Jul.2022
Topo

A Companhia

OPINIÃO

Texto em que o autor apresenta e defende suas ideias e opiniões, a partir da interpretação de fatos e dados.

Ação da Braskem cai 33% no ano, mas lucro sobe 56%; saiba se vale investir

só para assinantes
Márcio Anaya

Jornalista especializado em Economia, com pós-graduação em Mercado de Capitais pela Fundação Instituto de Pesquisas Contábeis, Atuariais e Financeiras (Fipecafi) – USP. Trabalhou como repórter e editor de companhias abertas por cerca de 20 anos, integrando as redações da Agência Estado/Broadcast e Valor Econômico. Atua desde 2018 como colaborador de portais de investimento e entidades sem fins lucrativos

Colaboração para o UOL, em São Paulo

28/06/2022 09h00

Esta é a versão online parcial da edição desta semana da newsletter A Companhia, que analisa se é o momento ou não de comprar ações da Braskem e pontos positivos e negativos da empresa. Na newsletter completa, apenas para assinantes, veja perspectivas da empresa, para qual perfil é indicada, se ela está barata e quais os valores de compra e venda recomendados. Para assinar o boletim semanal e ter acesso ao conteúdo completo, clique aqui.

Nesta semana, o destaque na newsletter A Companhia fica por conta da Braskem, escolhida por Matheus Jaconeli e Bruna Sene, analistas da Nova Futura Investimentos.

A empresa é uma das maiores produtoras globais de petroquímicos, com capacidade anual de produção de 10,7 milhões de toneladas de químicos e 9,3 milhões de toneladas de resinas termoplásticas, conforme dados consolidados de 2021.

Após figurar na vice-liderança entre as maiores altas do Índice Bovespa (Ibovespa) em 2021, com ganho de 176,3%, as ações preferenciais classe A (PNAs) da Braskem (BRKM5) acumulam perda de 33% neste ano, até o dia 23 de junho, segundo a plataforma de informações financeiras Economatica.

Saiba mais sobre a Braskem

Fundada em 2002, a Braskem é a sexta maior petroquímica do mundo na produção de resinas termoplásticas e líder nas Américas, com clientes em mais de 71 países, segundo seu relatório integrado de 2021.

A companhia é ainda líder de mercado e pioneira na produção de biopolímeros (plástico feito de matéria-prima renovável) em escala industrial.

Os plásticos e itens químicos produzidos pela Braskem são usados na fabricação de uma série de produtos, que incluem embalagens de alimentos, móveis, componentes industriais e automotivos, tintas e revestimentos.

Por que as ações da Braskem são uma oportunidade para investir?

Jaconeli destaca que a Braskem apresentou um avanço considerável no lucro líquido do primeiro trimestre deste ano. O ganho foi de R$ 3,9 bilhões, com alta de 56% em relação a igual período de 2021.

"Tal resultado contribui para as margens de lucro da companhia, indicador importante em momentos de crise, fazendo com que chegasse a 15%", afirma o especialista.

Pontos a favor

  • Forte diversificação geográfica, com as fontes de receita distribuídas entre Brasil (52,9%), Estados Unidos (22,9%), México (5,2%), Argentina (2%), Alemanha (1,8%) e outros países (15,2%);
  • Interesse de grandes fundos internacionais e companhias como Ultrapar e Votorantim, que podem vir a adquirir as participações da Novonor e da Petrobras na Braskem. Segundo a corretora Nova Futura, é um tema que está no radar do mercado e tende a ser positivo para a empresa;
  • Baixa alavancagem, com o indicador dívida líquida/Ebitda (endividamento total, menos caixa, dividido pela geração operacional de recursos) situando-se em 1 vez no primeiro trimestre, além de índices de rentabilidade elevados.

Pontos contra

  • Redução de caixa devido aos custos com provisões ligadas a um evento geológico com afundamento de solo ocorrido em Alagoas, para compensação de moradores e reparação socioambiental.
  • Possibilidade de aumento dos custos em razão dos preços elevados do petróleo - sobretudo enquanto durar a guerra entre Rússia e Ucrânia -, o que pode reduzir as margens de ganho dos petroquímicos e trazer efeitos negativos na geração operacional de caixa medida pelo Ebitda;
  • Situação econômica internacional, que reúne um cenário de recessão global com inflação em alta, pode afetar a companhia, principalmente pelo peso dos Estados Unidos nos negócios.

LEIA MAIS NA NEWSLETTER