IPCA
0,46 Jun.2024
Topo

A Companhia

OPINIÃO

Texto em que o autor apresenta e defende suas ideias e opiniões, a partir da interpretação de fatos e dados.

Ações da Energisa são alternativa para momentos de alta instabilidade

Getty Images/iStock
Imagem: Getty Images/iStock

Colaboração para o UOL, em São Paulo

24/01/2023 14h30

Esta é a versão online da newsletter A Companhia enviada nesta terça-feira (24). Quer receber antes o boletim e diretamente no seu email? Clique aqui. Os assinantes UOL ainda podem receber dez newsletters exclusivas toda semana.

O destaque da semana na newsletter A Companhia é a Energisa, escolhida por Ricardo Faria França, analista da Ágora Investimentos.

"Optamos por Energisa por se tratar de uma das principais empresas do setor elétrico, que possui características mais resilientes, sobretudo em momentos de maior volatilidade no mercado de ações", afirma o especialista.

Ele lembra que, nesse segmento, os contratos têm como característica prazos mais longos e valores indexados à inflação, o que é positivo do ponto de vista de proteção do fluxo de caixa.

França pondera, no entanto, que o negócio de distribuição é o mais sensível do setor em relação ao cenário econômico. Dessa maneira, fatores como demanda, custos e desempenho operacional podem afetar diretamente os resultados da companhia.

"Em momentos de dificuldade macroeconômica, este segmento pode lidar com piora em indicadores como inadimplência, ou até mesmo aumento nas perdas não técnicas, o chamado furto da energia", diz o analista.

A Energisa obteve lucro líquido de R$ 475 milhões no terceiro trimestre de 2022, resultado 45% menor no comparativo com igual período do ano anterior. O balanço do quarto trimestre será divulgado em 16 de março, conforme cronograma da empresa.

Após alta de 7,5% em 2022, as units (cesta de ações) da companhia (ENGI11) registravam perda de quase 5% neste início de ano, até o dia 19, segundo informações do TradeMap, hub independente do mercado financeiro.

Saiba mais sobre a Energisa

A Energisa, que completará 118 anos em fevereiro de 2023, teve início com a Companhia Força e Luz Cataguazes-Leopoldina (CFLCL), antiga holding das empresas do grupo - que atua nas áreas de distribuição, geração, serviços e comercialização de energia elétrica.

O segmento de distribuição, no entanto, é sua principal base de negócio.

Trata-se do quinto maior grupo distribuidor de energia do país, atendendo aproximadamente 8,2 milhões de consumidores, em 11 estados. Sua área de concessão atinge 2.034 mil quilômetros quadrados, equivalentes a 24% do território nacional.

Por que as ações da Energisa são uma oportunidade para investir?

França destaca que o setor de utilidades públicas é um dos mais resilientes da economia, em função da maior previsibilidade de receitas, contratos de longo prazo e com reajustes por índices de inflação (nos segmentos de transmissão e distribuição de energia e de distribuição de gás).

"Tais características são oportunas, especialmente em momentos de maior volatilidade causada pelo cenário macroeconômico."

Ele ressalta ainda que o Brasil possui uma matriz de geração de energia elétrica com grande exposição as fontes hidrelétricas. Com isso, a recuperação dos níveis dos reservatórios deve permitir a manutenção dos preços em patamares mais baixos, o que é positivo para a manutenção dos indicadores de perdas e inadimplência.

Quanto aos riscos, o analista observa que um ponto chave é o ambiente regulatório, uma vez que o setor é totalmente regulado pela Aneel (Agência Nacional de Energia Elétrica) e possui uma série de métricas e metas que precisam ser atendidas.

Pontos a favor

  • Recuperação do consumo com a volta das atividades ao nível "normal", após o pior momento da pandemia;
  • Previsibilidade nos resultados e proteção contra a alta da inflação;
  • Solidez financeira da empresa, com um índice de dívida líquida/Ebitda (endividamento total, menos caixa, dividido pela geração operacional de recursos) de 2,8 vezes em setembro de 2022 - o que lhe dá conforto para implementar os planos de investimento nos próximos anos.

Pontos contra

  • Eventuais mudanças regulatórias podem trazer prejuízos à companhia ou reduzir a previsibilidade dos resultados, influenciando a percepção de risco dos investidores;
  • Em caso de piora nas condições econômicas nas áreas de concessão da empresa, é possível que haja um aumento da inadimplência e menor demanda por energia, impactando os resultados das distribuidoras do grupo.

********

LEIA MAIS NA NEWSLETTER

Este material não é um relatório de análise, recomendação de investimento ou oferta de valor mobiliário. Este conteúdo é de responsabilidade do corpo jornalístico do UOL Economia, que possui liberdade editorial. Quaisquer opiniões de especialistas credenciados eventualmente utilizadas como amparo à matéria refletem exclusivamente as opiniões pessoais desses especialistas e foram elaboradas de forma independente do Universo Online S.A.. Este material tem objetivo informativo e não tem a finalidade de assegurar a existência de garantia de resultados futuros ou a isenção de riscos. Os produtos de investimentos mencionados podem não ser adequados para todos os perfis de investidores, sendo importante o preenchimento do questionário de suitability para identificação de produtos adequados ao seu perfil, bem como a consulta de especialistas de confiança antes de qualquer investimento. Rentabilidade passada não representa garantia de rentabilidade futura e não está isenta de tributação. A rentabilidade de produtos financeiros pode apresentar variações e seu preço pode aumentar ou diminuir, a depender de condições de mercado, podendo resultar em perdas. O Universo Online S.A. se exime de toda e qualquer responsabilidade por eventuais prejuízos que venham a decorrer da utilização deste material.