IPCA
0,46 Jun.2024
Topo

Carlos Juliano Barros

REPORTAGEM

Texto que relata acontecimentos, baseado em fatos e dados observados ou verificados diretamente pelo jornalista ou obtidos pelo acesso a fontes jornalísticas reconhecidas e confiáveis.

Trabalheira: O influencer-celebridade está com os dias contados?

20/04/2023 04h00

Receba os novos posts desta coluna no seu e-mail

Email inválido

"Eu sinto uma mudança daquele influenciador que era pautado pelo simples fato de ser famoso. Eu acho que esse modelo tende a perder espaço. E a gente cada vez mais vai para um modelo que é pautado pela relevância do conteúdo que você faz."

A análise de Guilherme Ravache, jornalista e consultor especializado em mídias digitais, resume o debate proposto pelo último episódio da terceira temporada do podcast Trabalheira (confira a entrevista a partir de 00:21 no arquivo disponível acima).

Para virar influenciador, o passo a passo básico é encontrar um nicho e investir tempo nas redes sociais para criar conteúdo e formar uma comunidade robusta de seguidores.

No entanto, num mercado cada vez mais competitivo, já não basta ser apenas uma celebridade. Mais do que fama, a pessoa que almeja ganhar a vida como influenciador precisa ter uma causa — seja ela qual for.

Produzido pelo Repórter Brasil e distribuído pelo UOL, o programa discute a relação entre mercado de trabalho e tecnologias digitais. Em sua primeira temporada, o podcast foi eleito um dos destaques do ano pelo Spotify no Brasil.

Influencers mundiais e locais

Se você der um Google em "MrBeast", uma das primeiras definições que aparecem na tela é "filantropo" — ou seja, uma pessoa dedicada a causas sociais.

Maior youtuber do planeta, com 146 milhões de seguidores, MrBeast é a alcunha de Jimmy Donaldson — um jovem norteamericano de 24 anos que, dentre outras coisas, já conseguiu doações para plantar 20 milhões de árvores em parques espalhados pelos Estados Unidos.

Mas nem todo influenciador precisa almejar o alcance astronômico de um MrBeast. O músico e cantor Gustavo Pórco prova que é possível, sim, ser um influenciador local de sucesso — e viver disso.

No início de 2020, sem trabalho durante a pandemia, ele criou um canal de humor no Youtube chamado Indavírus para retratar e valorizar os personagens típicos do Vale do Itajaí, no interior de Santa Catarina.

Três anos depois, Pórco virou presença obrigatória em qualquer evento importante da região, como a Oktoberfest.

"Todo o meu conteúdo é baseado na premissa: eu amo a minha região, a minha terra. Ponto. Essa é a minha diretriz de trabalhar", diz Pórco (ouça a entrevista a partir de 07:38).

Espelho da vida

Giovana Romani, uma jornalista paulistana especializada em moda, trocou uma sólida carreira de diretora de revista pela de influenciadora e produtora de conteúdo para marcas nas redes sociais (confira a entrevista a partir de 12:17).

"Eu estou tentando inclusive pensar na internet como esse lugar: 'a gente usa, sabe? A gente tá na internet. A gente tá nas redes'. Em vez de negar isso, o que a gente pode fazer para transformar numa coisa mais saudável? Mais acolhedora?", afirma a influenciadora. "Então, acho que é olhar com esse olhar menos de ser uma coisa pejorativa mesmo e mais do tipo 'é um espelho da vida'", complementa.

O podcast

A nova temporada do "Trabalheira" conta com cinco episódios, todos publicados às quintas-feiras, neste espaço.

O programa é roteirizado e apresentado por este colunista, em parceria com a jornalista Ana Aranha, da Repórter Brasil.

Você pode ouvir este e outros episódios do Trabalheira no UOL, no Youtube, no Spotify, na Apple Podcasts e em todas as plataformas de podcast.