PUBLICIDADE
IPCA
0,24 Ago.2020
Topo

Comprar a casa própria logo depois de casar pode ser um grande pesadelo

Júlia Mendonça

Júlia Mendonça é formada em comércio exterior pela Universidade Positivo. Atuou como planejadora financeira entre 2015 e 2018. Especialista em orientação e planejamento financeiro pessoal, é coach e consultora de finanças, pós-graduada em investimentos, finanças e banking. É influenciadora digital no nicho de finanças e investimentos em um dos maiores canais do assunto na área do Brasil.

04/06/2020 04h00

Comprar casa é um marco na vida de quase todo brasileiro. Crescemos em uma sociedade que repete diariamente: "quem casa quer casa" e "pagar aluguel é jogar dinheiro fora". Não é coincidência que depois de ouvir isso a vida inteira, logo que temos a primeira oportunidade, compramos um imóvel, custando o que for para isso.

Infelizmente, essa decisão, muitas vezes, se revela uma péssima escolha a longo prazo e pode ter graves consequências financeiras. Ao contrário do que muitos educadores financeiros pregam, não sou contra a compra de um imóvel, mas acredito, com base na minha própria e na experiência de centenas de clientes, que a compra da casa deve passar por uma avaliação profunda e pode levar anos para isso ocorrer.

Quem casa...

Grande parte da população decide pela compra da casa assim que se casam e esse é um dos momentos mais instáveis da vida. O salário é baixo, as mudanças de emprego são inevitáveis, a família cresce rápido e muitas vezes o que o dinheiro pode acabar pagando no momento é por um imóvel pequeno e longe do local de trabalho.

Com as mudanças de vida que ocorrem naturalmente ao longo dos anos, esse imóvel pode deixar de ser apropriado para o casal. Não só isso! Os gastos gerados pela compra, por ser feita num momento inadequado, podem gerar dívidas que duram por anos. São diversos os custos "escondidos" na aquisição da casa: despachante, ITBI, mobília. Essas coisas podem levar o orçamento para o vermelho por muito tempo.

Estabilidade

Recomendo que a compra do imóvel aconteça somente a partir do momento em que é atingida uma estabilidade na carreira, a família já está formada e que se tenha um dinheiro para pagar por pelo menos 50% deste imóvel à vista.

Pode demorar alguns anos para isso acontecer e é natural que muitas pessoas não se sintam confortáveis em pagar aluguel durante esse período. Crescemos com a ideia de que alugar um imóvel é jogar dinheiro fora, mas assim como se paga por um serviço ou por alimentação, o pagamento de um aluguel não deve ser visto como tal.

Aluguel x financiamento

Muitas pessoas conseguem acumular uma boa quantia em dinheiro ao escolherem um imóvel com preço menor do que pagariam pelo financiamento e investirem essa diferença. Além disso, usar o financiamento como desculpa para se obrigar a guardar dinheiro só expõe outro problema mais grave: a falta de educação financeira e comprometimento em relação a seu futuro.

Talvez seja essa a grande causa de problemas em relação à compra do imóvel no momento errado. Não é feita uma análise se a casa adquirida agora vai servir para elas daqui 5 ou 10 anos, muito menos com os juros e nas dívidas decorrentes dessa decisão.

Conselho

Se eu puder dar só uma dica para auxiliar você nessa decisão é a de imaginar a sua vida daqui um tempo, alguns anos. Você estará satisfeito com o tamanho da sua casa? A localização dela não será motivo para incômodos no trajeto casa-trabalho ou casa-escola? Por quanto tempo se endividou e será que essa dívida vai ser um impedimento para realizar outros sonhos?

Tome tempo para fechar essa decisão. Se precisar consulte outras pessoas e faça os cálculos. A casa própria, com certeza é algo que você pode colocar na lista dos seus objetivos, mas evite ao máximo transformar esse sonho um pesadelo.

Os segredos do sucesso financeiro da Anitta Descomplique

UOL Notícias

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL