PUBLICIDADE
IPCA
0,86 Out.2020
Topo

Descomplique

Investir na Bolsa é uma das melhores coisas a fazer com o seu dinheiro

Júlia Mendonça

Júlia Mendonça é formada em comércio exterior pela Universidade Positivo. Atuou como planejadora financeira entre 2015 e 2018. Especialista em orientação e planejamento financeiro pessoal, é coach e consultora de finanças, pós-graduada em investimentos, finanças e banking. É influenciadora digital no nicho de finanças e investimentos em um dos maiores canais do assunto na área do Brasil.

23/06/2020 04h00

Investir na Bolsa é uma das melhores coisas que você pode fazer pelo seu dinheiro. Ela lhe possibilita ser sócio das maiores empresas do Brasil e do mundo com pouquíssimo dinheiro e deve fazer parte de toda carteira de investimentos lucrativa. Claro que é um investimento de risco e é preciso tomar todos os cuidados (veja dicas para não cair em armadilhas).

O Brasil era, até pouco tempo, o paraíso da renda fixa, dos investidores que colocavam dinheiro em bancos, títulos do governo e se aproveitavam dos juros gordos típicos de uma economia em desenvolvimento.

Nova realidade

Com a mudança da política econômica, essa realidade tem mudado. Saímos de uma taxa anual de juros (Selic) de 14,25% para 2,25% em apenas 4 anos. Isso forçou milhares de investidores a migrarem para as ações, e esse tipo de investimento hoje é cada vez mais popular.

É muito comum escutarmos que poucas pessoas ganham na Bolsa, que ela é um cassino. Realmente, quando olhamos para um período curto de tempo, essas variações ocorrem e podem levar você ao prejuízo. Porém, ao analisamos um período de tempo maior, como 20-30 anos, notamos que ações de boas empresas tendem a ter um retorno incrível.

Ganho duplo

Assim como um negócio que você monta e se beneficia com os lucros da operação dele, nas ações, isso também acontece. Além de ganhar com a valorização do papel, você tem a possibilidade de receber os dividendos, que são a parte do lucro destinada aos acionistas.

É fato que montar uma carteira de ações não é uma das tarefas mais fáceis para quem está começando nos investimentos, e é por isso que hoje existem diversos tipos de aplicação que podem auxiliar o iniciante da Bolsa e quem não tem tempo para acompanhar o mercado.

Fundos de índice

Os ETFs são uma categoria de investimento que reúne dezenas de ações dentro de um só ativo e são uma ótima opção para quem quer diversificar o dinheiro com facilidade e baixo custo. É como se você comprasse uma cesta cheia de ações dentro. O critério usado para encher essa cesta é diferente para cada ETF. Alguns investem nas ações mais negociadas na Bolsa, outras nas ações que mais pagam dividendos.

Para quem deseja entrar na renda variável sem preocupação, os fundos de investimentos em ações são outra opção. Por meio deles você confia a um gestor a escolhas dos ativos de acordo com uma estratégia. A desvantagem nesse caso são as altas taxas de administração cobradas.

Independentemente da opção utilizada por você, se quer investir melhor para seus planos de longo prazo, é fundamental que considere a Bolsa de Valores. Entenda as variações naturais desse tipo de investimento e não deixe se abalar por elas. Seu dinheiro agradece.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL