PUBLICIDADE
IPCA
+0,25 Jan.2021
Topo

Descomplique

Esposo(a) não me ajuda com as finanças! O que eu faço?

Júlia Mendonça

Júlia Mendonça é formada em comércio exterior pela Universidade Positivo. Atuou como planejadora financeira entre 2015 e 2018. Especialista em orientação e planejamento financeiro pessoal, é coach e consultora de finanças, pós-graduada em investimentos, finanças e banking. É influenciadora digital no nicho de finanças e investimentos em um dos maiores canais do assunto na área do Brasil.

19/01/2021 04h00

Uma das queixas que mais recebo de mulheres quando falo de organização financeira é a falta de ajuda do companheiro em relação ao planejamento do dinheiro. Isso pode gerar atrito entre o casal e impede a prosperidade financeira.

Separei algumas ações que você pode tomar hoje para impulsionar sua grana a dois.

Não espere permissão

Se você quer começar a cuidar do dinheiro, mas seu parceiro não tem vontade de ajudar nesse assunto, não espere que essa situação mude para que você tome alguma ação.
Informe que a partir de agora você será mais responsável pelas finanças e que isso vai acontecer independente da ajuda dele.

Se necessário, peça o apoio de seu companheiro, mas caso a resposta seja negativa, continue com o seu plano. O que acontece, normalmente, é que depois que a outra parte vê os resultados do planejamento se empolga e decide participar. Por isso o mais importante é começar sem ficar esperando aprovação.

Evite rótulos

Na hora de conversar sobre dinheiro, evite os rótulos e preconceitos. Mulheres são chamadas de gastonas, homens de irresponsáveis, entre outros adjetivos que não ajudam em nada na resolução dos problemas.

Não aponte erros, busque por soluções. No início é muito complicado mudar hábitos ou entender que o padrão de consumo pode estar errado. Na hora de propor mudanças, mostre os benefícios práticos que elas terão na vida de ambos.

Coloque o dinheiro na roda

Dinheiro não deve ser assunto apenas na hora das discussões. Ele sempre deve entrar na roda de conversa. Se vocês deixam para conversar sobre a grana somente na hora de brigar, sempre que o assunto finanças vier à tona vocês vão associá-lo a momentos ruins.

A partir do momento em que vocês planejam as finanças rotineiramente, o dinheiro deixa de ser tabu e passa a ser assunto diário. Assim que vocês chegam a esse nível de conversa, tudo fica muito mais fácil e os planos começam a sair do papel.

Faça planos

Cuidar do dinheiro deve ter um objetivo. Ninguém resolve cuidar das finanças se não vê benefício nisso. Essa meta deve incluir algo factível e que traga benefício para ambos. Pode ser algo como se livrar de dívidas para fazer uma viagem no final do ano, ou até mesmo chegar aos primeiros 10 mil investidos.

O mais importante disso tudo é começar. Não espere até amanhã ou algo pior acontecer para começar a cuidar da sua grana imediatamente. Não dependa dos outros para que esse plano saia do papel. Peça apoio sempre, mas permissão, nunca.