PUBLICIDADE
IPCA
0,87 Ago.2021
Topo

Descomplique

Nunca lidei bem com meu dinheiro! Como começar a cuidar das finanças?

Getty Images/iStockphoto/Brankospejs
Imagem: Getty Images/iStockphoto/Brankospejs
Conteúdo exclusivo para assinantes
Júlia Mendonça

Júlia Mendonça é formada em comércio exterior pela Universidade Positivo. Atuou como planejadora financeira entre 2015 e 2018. Especialista em orientação e planejamento financeiro pessoal, é coach e consultora de finanças, pós-graduada em investimentos, finanças e banking. É influenciadora digital no nicho de finanças e investimentos em um dos maiores canais do assunto na área do Brasil.

25/01/2021 04h00

Educação financeira nunca foi algo muito difundido no Brasil. Passamos a vida inteira sem entender para onde vai nosso dinheiro e sem saber como faremos para passar o mês sem entrar no cheque especial. Até pouco tempo atrás, era difícil ter acesso a esse tipo de informação.

Pensando em quem nunca teve educação financeira, separei algumas dicas que você pode aplicar imediatamente para começar a cuidar do seu dinheiro.

Dinheiro não se multiplica sozinho

A primeira dica pode parecer óbvia, mas passa despercebida para muita gente. Não gaste mais do que ganha. Se suas despesas mensais são maiores que seu salário, você vai se endividar.

Só tem um jeito de descobrir se isso acontece com você ou não: pelo planejamento financeiro, que é tão simples quanto uma conta de somar e diminuir. Anote todos os seus gastos mensais e desconte-os do valor que você ganha.

Não menospreze nenhuma conta e não deixe de contar o que gasta no dia a dia. Esses gastos fazem toda a diferença no final do mês. Caso esteja gastando mais do que ganha, é preciso organizar as finanças imediatamente.

Comece com as despesas fixas, aquelas que você tem todos os meses, como dívidas, contas de água, luz, telefone. Esses gastos têm um grande impacto no seu orçamento, porém pouco afetam seu padrão de vida.

Somente depois de cortar esses gastos passe para o controle dos gastos variáveis, que incluem lazer e compras esporádicas. Os cortes aqui vão afetar bastante sua diversão e podem diminuir seu padrão de vida.

Dívidas

Se você está enrolado no seu cartão de crédito ou no cheque especial, todo o seu foco deve ser sair desse buraco imediatamente. Quanto mais espera, pior fica. Venda o que está parado, faça renda extra, economize o que puder para evitar que essa dívida cresça.

Caso esteja com o nome sujo, procure formas de juntar dinheiro e busque os feirões de renegociação. Eles são uma das formas mais baratas, rápidas e práticas para limpar o seu nome. Não é possível saber quando eles serão realizados, por isso é preciso ficar atento a anúncios de redes sociais e ao site do seu banco.

Reserva de emergência

Se você já consegue guardar dinheiro mensalmente, o passo seguinte é começar a montar sua reserva de emergência, que é um valor que você vai investir para socorrer suas finanças caso tenha problemas. Calcule quanto você gasta nos seus custos fixos mensais e multiplique esse valor por 6. O resultado corresponde a quanto você deve guardar na sua reserva.

Esse dinheiro deve ficar em aplicações que sejam de fácil resgate e que não tenham variações de valor, por exemplo: poupança, Tesouro Selic ou CDBs de liquidez diária.

Se você conseguir implementar essas dicas na sua vida, vai ter resultados incríveis e que vão facilitar demais sua vivência com as finanças.

PUBLICIDADE