PUBLICIDADE
IPCA
1,25 Out.2021
Topo

Descomplique

OPINIÃO

Texto em que o autor apresenta e defende suas ideias e opiniões, a partir da interpretação de fatos e dados.

Dividendos: vale a pena investir pensando neles?

Bruno Domingos/Reuters
Imagem: Bruno Domingos/Reuters
Conteúdo exclusivo para assinantes
Júlia Mendonça

Júlia Mendonça é formada em comércio exterior pela Universidade Positivo. Atuou como planejadora financeira entre 2015 e 2018. Especialista em orientação e planejamento financeiro pessoal, é coach e consultora de finanças, pós-graduada em investimentos, finanças e banking. É influenciadora digital no nicho de finanças e investimentos em um dos maiores canais do assunto na área do Brasil.

19/11/2021 04h00

Dividendos são uma das maiores alegrias de todo o investidor. Poucas sensações são tão boas quanto ver a grana dos dividendos caindo na sua corretora sem que você precise fazer nada.

Tem muita gente que deseja começar nesse mundo, porém não tem nem ideia do que são dividendos e quais os riscos de investir em ações que os pagam. Por isso fiz um resumo de tudo o que você precisa saber antes de procurar esse tipo de aplicação.

Como funciona

Quando você compra uma ação, passa a ter direito sobre uma parte dos lucros vindos da operação da empresa. Esse lucro é dividido entre todos os acionistas e chega para você na forma de dividendos. Isso significa que quanto melhor a performance da empresa, mais dividendos ela distribui.

Acontece que nem toda a empresa na Bolsa tem lucro nas operações. Algumas têm problemas administrativos e por isso ficam no prejuízo, outras empresas decidem por reinvestir grande parte do dinheiro recebido nas operações no crescimento das suas atividades.

Fique atento

Se você deseja investir para ganhar dividendos é preciso analisar a empresa para saber se ela entra nessas duas situações. O que não é tão óbvio assim é que nem sempre vale a pena focar somente em ações que pagam bons dividendos para montar sua carteira.

As empresas que distribuem dividendos regularmente e em boa quantidade normalmente são companhias sólidas, com anos de mercado e que não necessitam investir tanto dinheiro na expansão para continuarem competitivas.

Isso tem um lado bom e um ruim. O lado bom é que são empresas mais seguras, que dificilmente terão prejuízo de uma hora para outra. O lado ruim é que por não focar tanto na expansão, dificilmente terão uma grande valorização na sua cotação.

Para entender mais

Exemplos clássicos de empresas assim são a Ambev (ABEV3) e Magazine Luiza (MGLU3). O Magazine Luiza foi uma das grandes estrelas da bolsa na última década. Distribuiu poucos dividendos, porém multiplicou o dinheiro dos acionistas dezenas de vezes por meio da sua cotação.

Já a Ambev não cresceu tanto em sua cotação, porém sempre pagou dividendos regulares e não deu nenhum susto ao acionista. Se você está em fase de multiplicação do seu patrimônio (ou seja, está longe de se aposentar) não vale tanto a pena focar nos dividendos, pois nesse momento o mais importante é crescer seu dinheiro ao longo do tempo.

Na hora de escolher

Também é importante você saber que os dividendos são descontados do valor da ação. Isso significa que se você recebeu R$ 1 de dividendo e a ação custa R$ 10, a ação vai passar a valer R$ 9 assim que você receber o dividendo.

Escolher entre uma estratégia que foca em dividendos ou uma carteira com ações que contempla empresas em momentos diferentes é uma opção pessoal e que depende principalmente do seu perfil. Não descarte nenhuma dessas alternativas antes de estudar bem cada uma delas.

PUBLICIDADE

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL