PUBLICIDADE
IPCA
0,87 Ago.2021
Topo

Descomplique

OPINIÃO

Texto em que o autor apresenta e defende suas ideias e opiniões, a partir da interpretação de fatos e dados.

É possível ganhar dinheiro nos investimentos mesmo sem entender nada

Getty Images/iStockphoto
Imagem: Getty Images/iStockphoto
Conteúdo exclusivo para assinantes
Júlia Mendonça

Júlia Mendonça é formada em comércio exterior pela Universidade Positivo. Atuou como planejadora financeira entre 2015 e 2018. Especialista em orientação e planejamento financeiro pessoal, é coach e consultora de finanças, pós-graduada em investimentos, finanças e banking. É influenciadora digital no nicho de finanças e investimentos em um dos maiores canais do assunto na área do Brasil.

10/08/2021 04h00

Investir é fácil, mas não é todo mundo que tem facilidade ou paciência para montar e acompanhar uma carteira de ativos. São muitas siglas, muitos nomes, muita gente querendo se aproveitar da falta de conhecimento do investidor para lucrar de modo irresponsável.

Muita gente fica de fora desse mundo por medo ou preguiça de estudar e acompanhar os investimentos mais de perto. Se você se identificou com isso, será que é possível investir sua grana e ter alta rentabilidade, mesmo sendo um completo leigo?

Indicações nada amigas

Há algum tempo, uma das funções do gerente do banco era indicar investimentos para os clientes. Graças à ignorância da maior parte da população e falta de informação disponível, muitas dessas opções oferecidas eram péssimas.

Altas taxas de administração aliadas à baixa rentabilidade faziam com que o investidor que dependesse do banco ficasse frustrado com as opções apresentadas. Esse talvez seja o maior obstáculo para quem deseja montar uma carteira de aplicações por conta própria, mas ainda é leigo.

Hoje, muita coisa mudou para o pequeno investidor e está bem mais fácil e barato investir com alta rentabilidade e segurança. Porém, ainda existem opções ruins disfarçadas de oportunidades. Saber diferenciar o que é cilada do que é um bom investimento não é difícil, e estudando alguns detalhes é possível separar o joio do trigo.

Verifique as taxas

O primeiro ponto que você deve observar é a cobrança de taxas. Na previdência privada ainda existem bancos que cobram taxa de carregamento. Fuja deles, pois existem diversas instituições que já aboliram essa cobrança.

Alguns investimentos de renda fixa (como os CDBs), que são oferecidos por bancos grandes, podem ter rentabilidade menor que a poupança. Normalmente a rentabilidade dessas aplicações é expressa em % CDI.

O CDI é uma taxa usada em operações entre os bancos. É importante você saber que se a rentabilidade for menos de 100% do CDI não vale a pena investir nessa aplicação.

Fuja desses investimentos

Outros investimentos ruins oferecidos pelos bancos são os títulos de capitalização e consórcios. Eles possuem diversas regras que dificultam a retirada do seu dinheiro, cobram taxas e não o fazem render. Fuja deles.

Boas opções de investimentos que exigem pouco acompanhamento estão cada vez mais comuns no mercado.

O queridinho

O mais popular deles é o tesouro direto, que é um programa organizado pelo governo federal para popularizar os títulos de investimentos federais. Por meio dele é possível investir para objetivos de curto prazo, pelo Tesouro Selic, e para aposentadoria, o Tesouro IPCA. É preciso ficar atento, pois caso você precise retirar seu dinheiro antes do tempo programado neste último título pode perder dinheiro.

Para quem deseja investir na bolsa, uma boa opção são os ETFs. Com eles é possível diversificar seu dinheiro entre várias ações com pouco dinheiro e baixa taxa de administração. Por ser um investimento de renda variável, é possível ter prejuízo nesse tipo de aplicação.

Mesmo que você seja leigo e não deseje gastar muito tempo com seus investimentos, usando as regras acima e um pouco de estudo é possível, sim, ter uma boa rentabilidade com seus investimentos de forma tranquila.

PUBLICIDADE

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL