PUBLICIDADE
IPCA
0,87 Ago.2021
Topo

Econoweek

Novos planos para a carreira: como mudar de área sem se dar mal

Conteúdo exclusivo para assinantes
Yolanda Fordelone

Yolanda Fordelone

Yolanda Fordelone é economista e jornalista, teve passagens por grandes jornais nas áreas de economia e finanças, foi professora em um curso de graduação em Economia e hoje coordena uma equipe em um aplicativo de gestão financeira. Além disso, se dedica às finanças pessoais no Econoweek.

28/01/2021 04h00

Qual é o melhor momento para trocar de emprego e carreira: ainda jovem, com o risco de ser classificado como alguém sem foco profissional, ou mais velho, já com algumas contas para pagar? E para empreender: é preferível arriscar jovem e sem experiência como Letícia Vaz, da LV Store, ou mais velho e com aprendizados, como é o meu caso e o do César, já relatado em outro conteúdo?

A verdade é que não há caminho correto ou mais certeiro, mas que em qualquer idade é importante tomar alguns cuidados. Outra verdade é que a pandemia do coronavírus deixou muita gente desempregada. Sem renda, as pessoas se veem procurando soluções que incluem, entre outras, buscar outras carreiras e abrir um negócio próprio.

No vídeo acima converso com Leonardo Filomeno, que já foi um dos comandantes do Manual do Homem Moderno e que hoje empreende sozinho no mundo de conteúdos digitais.

Abaixo, algumas dicas para quem pensa em mudar a vida profissional neste ano:

1. Pesquise o mercado no qual vai entrar

Gostar de cozinhar é bem diferente de ter de trabalhar com isso todos os dias. Por isso, pesquise bem o mercado e a atividade que quer exercer.

Nesta etapa, conversar com pessoas que já atuam no ramo é um bom exercício.

2. Aprenda a parte burocrática

Principalmente para quem quer empreender, uma das frustrações é ter de lidar com contas. Mas saiba que os negócios ainda iniciantes muitas vezes têm um quadro de funcionários reduzido. Isso significa que além de atuar à frente das decisões, o empreendedor terá de por a mão na massa e cuidar da parte financeira, como pagamento de contas e impostos.

Em outras palavras e usando o exemplo de novo de atuar com alimentação, não adianta apenas "gostar de cozinhar" sem ter a noção de todos os custos do seu produto.

3. Pense digitalmente

Uma das tendências que vieram para ficar em 2020 foi o consumo de serviços digitais. De terapias a consultas médicas, muitas pessoas adaptaram seus serviços às redes sociais e internet. No e-commerce, nem se fala: o consumidor ficou muito mais habituado às compras online.

Se for mudar de ramo ou abrir algo, pense em como pode potencializar seus serviços fazendo um bom marketing digital.

4. Tenha reservas financeiras

Obviamente, se a situação for de desemprego, tomar uma decisão no curto prazo é algo sem escolha: deve ser feito mesmo que não seja o melhor momento. Ainda assim, se puder, faça uma reserva financeira equivalente a aproximadamente seis meses de gastos. Se gasta R$ 2000 por mês, a reserva seria de R$ 12 mil.

Assim, se no começo o novo negócio ou carreira não decolar, há um tempo para continuar tentando.

No vídeo acima, conversamos sobre outros pontos importantes em viradas profissionais. Comente abaixo se você pensa em empreender um dia. Se preferir, converse conosco pelo YouTube ou Instagram.

PUBLICIDADE