PUBLICIDADE
IPCA
0,87 Ago.2021
Topo

Econoweek

ANÁLISE

Texto baseado no relato de acontecimentos, mas contextualizado a partir do conhecimento do jornalista sobre o tema; pode incluir interpretações do jornalista sobre os fatos.

6 dicas para abrir um negócio de sucesso com prêmio de R$ 1,5 mi do BBB

Conteúdo exclusivo para assinantes
César Esperandio

César Esperandio

César Esperandio é economista com ênfase em planejamento financeiro, com larga experiência no mercado financeiro. Já atuou em setores macroeconômicos de bancos e consultorias, além de ter passado por empresa de pesquisas de mercado. Hoje se dedica exclusivamente ao Econoweek, com foco em investimentos.

05/02/2021 04h00

O BBB vai pagar um prêmio de R$ 1,5 milhão ao vencedor. O que você faria com esse dinheiro?

A gente saiu pelas ruas fazendo essa pergunta às pessoas e a principal resposta, além de viajar e comprar uma casa, foi "abrir um negócio próprio". Veja os relatos e sonhos de cada um no vídeo acima.

Com o desemprego alto, cada vez mais gente está trabalhando por conta própria e montando uma empresa, que pouco a pouco vai crescendo.

Por isso, vamos dar seis dicas fundamentais que todo empresário deve saber para ter um negócio de sucesso, com ou sem R$ 1,5 milhão para começar.

Valorize quem está ao seu lado

Em um pequeno ou um grande negócio, são pessoas que compram produtos e serviços, bem como também são pessoas que fazem o trabalho. Se você não entender de pessoas, não entenderá de negócios!

Valorizar quem trabalha com você não é só pagar um salário alto. Tratar bem todas as pessoas é o mínimo que deve fazer.

De acordo com a pesquisa EBTS 2020 (Estudo de Tendências de Benefícios para Funcionários) da MetLife sobre o motivo de insatisfação de funcionários, dentre as principais reclamações estão:

  • Falta de iniciativas que apoiem a saúde financeira e o bem-estar dos funcionários.
  • Falta de flexibilidade para equilíbrio da vida pessoal e profissional.
  • Muita burocracia e falta de agilidade das áreas de suporte.
  • Falhas na gestão da empresa.

Muitos funcionários se mostraram mais produtivos ao perceberem amparo vindo da empresa por meio de benefícios não financeiros.

Cuide bem do seu negócio

Não deixe seu negócio sem rumo!

Para começar, sem custo nenhum, o Sebrae oferece diversos cursos gratuitos para melhorar a gestão da sua empresa e ter muito mais resultados.

Há cursos como:

  • Como vender pela internet na crise do coronavírus
  • Gestão financeira
  • Marketing digital para o empreendedor
  • Aprenda a planejar as estratégias do seu negócio
  • Liderança: como desenvolver times de alta performance

Todos são de graça, online e oferecem certificado.

Fale a verdade

Assim como você, que trabalha ou já trabalhou para alguém, todo funcionário quer crescer, evoluir e ganhar mais.

Porém, muitos ficam perdidos, sem saber se estão indo na direção certa ou não.

Organize a sua agenda para, de tempos em tempos, fazer uma reunião objetiva com quem está ao seu lado para dizer como anda a evolução do trabalho dele e onde você gostaria que ele chegasse, oferecendo elementos para que possa melhorar e onde já superou as expectativas.

O curso de liderança do Sebrae que citamos ensina você fazer isso.

Erre bastante

Errar é normal! O importante é ter agilidade e um esquema de gestão fluído o suficiente para cada erro ser pequeno e ser possível consertá-lo com rapidez para não comprometer o negócio.

Aqui no Econoweek, a gente adota o espírito de startups e testa muita coisa nova o tempo todo. Se depois de algumas vezes a ideia se mostra equivocada, a gente muda de estratégia rapidinho!

O cliente tem sempre razão

Nem sempre, mas depois de darmos dicas de gestão de equipe, nenhum empresário pode esquecer quem paga seu salário: os clientes!

Isso não quer dizer que você vai virar escravo deles, mas é importante se manter atento às dores do seu público e oferecer soluções para facilitar a vida dele.

Parece genérico demais, mas é isso! Os bancos digitais perceberam que todo mundo estava cansado de ligações intermináveis e filas em agências, ofereceu agilidade de cuidar disso na tela do celular e estão roubando a cena com vários clientes morrendo de amores por eles.

Dinheiro pessoal, negócios a parte

Assim como a gente vive falando que primeiro passo das finanças pessoais é construir uma reserva de emergência entre seis e 12 meses dos gastos médios para qualquer situação inesperada, as finanças da empresa não só têm que ser totalmente separadas das contas pessoais, como é fundamental ter um fundo de segurança do próprio negócio.

Aqui no Econoweek, temos uma reserva de emergência pessoal e uma só da empresa.

Se qualquer coisa acontecer, a empresa tem até um ano para continuar operando normalmente e pagando todo mundo que está com a gente.

O que você faria com R$ 1,5 milhão? Abriria o próprio negócio? Conte nos comentários ou fale com a gente pelo nosso canal do YouTube e Instagram.

PUBLICIDADE

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL