Bolsas

Câmbio

Bolsa fecha em queda, após 4 altas seguidas; Vale, Petrobras e bancos caem

Do UOL, em São Paulo

Ibovespa, principal índice da Bolsa brasileira, fechou esta quinta-feira (18) em queda de 0,37%, a 41.477,63 pontos. Com isso, a Bolsa interrompe uma sequência de quatro altas. 

Apesar da queda no dia, a Bovespa acumula alta de 4,19% na semana. No mês, tem ganhos de 2,65% e, no ano, desvalorização de 4,32%. 

Na véspera, a Bovespa havia subido 1,67%.

A queda de hoje foi puxada pelo desempenho negativo das ações da Vale, da Petrobras e dos bancos Banco do Brasil, Bradesco e Itaú Unibanco (leia mais abaixo). Todos têm grande peso sobre o Ibovespa. 

Dólar volta a fechar acima de R$ 4

No mercado de câmbio, o dólar comercial fechou em alta de 1,38%, a R$ 4,049 na venda.

Na véspera, a moeda norte-americana havia caído 1,88%, a maior queda percentual diária desde 28 de dezembro do ano passado. 

 

'Prévia' do PIB recua 4,08%

Investidores ficaram de olho na divulgação de dados sobre a economia brasileira. O IBC-Br (Índice de Atividade Econômica do Banco Central), considerado uma "prévia" informal do PIB (Produto Interno Bruto), fechou 2015 com queda de 4,08%. O número considera os dados sem ajustes sazonais, pois compara dois períodos iguais (o ano de 2015 ao de 2014).

Se o resultado do IBGE for semelhante ao indicado pelo BC, será a pior recessão no Brasil em 25 anos, desde 1990, quando a retração foi de 4,35%.

Vale e Petrobras caem

As ações ordinárias da Petrobras (PETR3), com direito a voto em assembleia, recuaram 2,65%, a R$ 6,60. As ações preferenciais (PETR4), que dão prioridade na distribuição de dividendos, perderam 1,92%, a R$ 4,59.

As ações ordinárias da Vale (VALE3) caíram 3,36%, a R$ 11,51. As ações preferenciais (VALE5), que dão prioridade na distribuição de dividendos, fecharam em queda de 2,79%, a R$ 8,35. Investidores aproveitavam altas recentes das ações para vendê-las e embolsar a diferença.

Bancos recuam

Os papéis do Bradesco (BBDC4) tiveram perdas de 2,03%, a R$ 19,80As ações do Itaú Unibanco (ITUB4) tiveram desvalorização de 2,03%, a R$ 24,64. O Banco do Brasil (BBAS3) caiu 3,67%, a R$ 12,87.

Os papéis do Itaú e do Bradesco foram puxados pela revisão de estimativas de lucros e preço de ações pelo banco Credit Suisse, que citou uma visão negativa para o setor bancário. A estimativa de preço do Itaú foi reduzida de R$ 30 para R$ 25 e a do Bradesco, de R$ 26 para R$ 22.

Também pesava o corte da nota dos bancos pela agência de classificação de risco Standard & Poor's, mais cedo, após o corte da nota do país na véspera. 

Usiminas despenca após balanço

As ações da Usiminas despencaram após divulgação de balanço, com resultados abaixo do esperado pelos investidores. Os papéis preferenciais da empresa (USIM5) lideraram as quedas do Ibovespa, caindo 13%, a R$ 0,87. 

As ações ordinárias (USIM3), que não fazem parte do índice, tombaram 12,93%, a R$ 3,57. 

Bolsas internacionais

As principais Bolsas de Valores da Europa fecharam sem tendência definida.

  • Alemanha: +0,92%
  • França: +0,15%
  • Portugal: -0,49%
  • Espanha: -0,83%
  • Inglaterra: -0,97%
  • Itália: -1,53% 

As Bolsas da Ásia e do Pacífico fecharam em alta, exceto a da China, que teve queda de 0,16%.

  • Hong Kong: +2,32%
  • Japão: +2,28%
  • Austrália: +2,25%
  • Cingapura: +1,67%
  • Coreia do Sul: +1,32%
  • Taiwan: +1,22%
  • China: -0,16%

(Com Reuters) 

 

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos