Dólar chega a subir 1%, mas desacelera e fecha em alta de 0,12%, a R$ 3,533

Do UOL, em São Paulo

Após chegar a subir mais de 1% pela manhã, o dólar comercial desacelerou e fechou esta quarta-feira (20) em alta de 0,12%, a R$ 3,533 na venda.

Na véspera, a moeda norte-americana havia caído 1,92%. Apesar de subir no dia, o dólar acumula desvalorização de 1,77% no mês e de 10,52% no ano.

Nesta quinta, o dólar não vai operar por causa do feriado de Tiradentes, mas as negociações serão retomadas normalmente na sexta-feira.

Processo de impeachment

Investidores continuavam atentos ao cenário político em meio à perspectiva de impeachment da presidente Dilma Rousseff. 

Mais cedo, o dólar chegou a subir com mais força após notícias de que o vice-presidente Michel Temer tem encontrado dificuldades para montar sua equipe econômica, caso a presidente seja afastada.

"Agora, o mercado vê o afastamento [de Dilma] como certo e está focando em detalhes do governo Temer. Com a crise econômica como está, parece que não vai ser muito fácil encontrar quem aceite segurar o tranco", disse à agência de notícias Reuters o operador da corretora B&T Marcos Trabbold.

A perspectiva de uma equipe de formação técnica e de postura econômica menos intervencionista vinha animando o mercado nas últimas semanas. Muitos operadores acreditam que uma eventual troca de governo poderia trazer de volta a confiança dos investidores na economia brasileira.

BC volta a atuar

Após ficar sem atuar no mercado de câmbio na última sessão, o Banco Central voltou a leiloar contratos de swap cambial reverso (equivalente à compra futura de dólares) nesta manhã.

O BC conseguiu leiloar a oferta total de 20 mil contratos, o que ajudou a moeda norte-americana a operar em alta na maior parte do dia. A atuação, no entanto, foi menos intensa do que nas últimas semanas, quando o BC chegou a fazer cinco leilões de até 80 mil swaps reversos em uma única sessão.

O dólar mais barato poderia prejudicar as exportações brasileiras, reduzindo a entrada da moeda norte-americana no país em um momento de recessão econômica.

Alta do petróleo

A alta do dólar, no entanto, perdeu força após a recuperação dos preços do petróleo no mercado internacional. 

O petróleo chegou a operar em queda no início da sessão, mas passou a subir no fim da manhã e acelerou os ganhos à tarde, influenciado por dados mostrando aumento menor que o esperado nos estoques da matéria-prima nos Estados Unidos.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos