PUBLICIDADE
IPCA
1,06 Abr.2022
Topo

Cotações

Dólar fecha a R$ 5, menor valor desde fim de junho; Bolsa encerra em baixa

Dado Ruvic/Reuters
Imagem: Dado Ruvic/Reuters

Do UOL, em São Paulo

23/02/2022 17h38

O dólar terminou o dia hoje em perda, a quarta consecutiva, de 0,95% e cotado a R$ 5,004 na venda. Já o Ibovespa, principal índice da Bolsa de Valores brasileira (B3), fechou o dia em baixa de 0,78%, aos 112.007,61 pontos —assim, a variação mensal teve perda de 0,12% e a anual, de 6,85%.

Esse é o menor valor do dólar desde junho do ano passado, mês em que a moeda teve sua menor cotação em 2021, a R$ 4,9049. Ante a semana passada, o dólar apresentou baixa de 2,65%. No comparado com janeiro, a moeda teve desaceleração de 5,69% e, em relação a 2021, 10,26%.

O valor do dólar divulgado diariamente pela imprensa, inclusive o UOL, refere-se ao dólar comercial. Para quem vai viajar e precisa comprar moeda em corretoras de câmbio, o valor é bem mais alto.

O que motiva a baixa do dólar?

O dólar está em seu quarto dia de queda consecutiva, em consequência da crescente tensão entre Ucrânia e Rússia e piorada com países do Ocidente reagindo com sanções econômicas contra o Estado russo.

Além disso, a desaceleração da moeda norte-americana é motivada por juros atrativos. No Brasil, o IPCA-15, prévia da inflação, subiu 0,99% em fevereiro ante janeiro, a maior alta para o mês em seis anos, com efeito da sazonalidade dos custos de educação. O resultado ficou bem acima do avanço esperado por economistas em pesquisa da Reuters, de 0,85%.

O mercado também está atento a potenciais votações no Senado de projetos que tentam reduzir a alta dos combustíveis.

Ontem (22) o dólar comercial caiu 1,08% e fechou vendido a R$ 5,052 e o Ibovespa a 112.891,797 pontos, com valorização de 1,04%.

Ibovespa começou o dia em alta

O principal índice da Bolsa brasileira apontava leve queda nesta quarta-feira, após subir na abertura, à medida que a recuperação em Wall Street perdeu fôlego, com o mercado atento à crise na Ucrânia.

Siderúrgicas e locadoras de veículos pesavam sobre o índice, enquanto setores de petróleo, financeiro, e de energia contribuíam positivamente. O mercado também digeria dado de inflação local acima do esperado em fevereiro.

Às 12:25, o Ibovespa caía 0,35%, a 112.502,01 pontos. O volume financeiro era de R$ 10,6 bilhões.

A cautela voltou a dominar no cenário internacional no final da manhã (horário de Brasília). Em meio a incertezas sobre um potencial conflito, mercados têm vivido período volátil nas últimas semanas.

Enquanto isso, investidores aguardavam os próximos passos a serem tomados pelo presidente russo, Vladimir Putin. Ele disse mais cedo que o país está aberto à diplomacia, mas não comprometerá sua segurança.

(Com Reuters)

Cotações