Bolsas

Câmbio

Estilistas lançam grifes exclusivas para pessoas com deficiência física

Sergio Kapustan

Do UOL, em São Paulo (SP)

Calça que se transforma em saia e calça jeans com elástico e velcro são algumas das peças criadas pelas grifes Lado B Moda Inclusiva e Lira, exclusivamente para pessoas com deficiência física.

As empresas, ambas no Estado de São Paulo, produzem roupas com modelagem mais solta e fechamento diferentes para facilitar o dia a dia desse público.

Segundo as estilistas que criam as peças, um cadeirante precisa de roupas com tecidos mais confortáveis e com opções de abertura e fechamento mais práticas por causa da sua limitação de movimento.

De acordo com o censo demográfico de 2010, feito pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), 45,6 milhões de brasileiros declararam possuir pelo menos uma das deficiências investigadas na pesquisa –mental, motora, visual e auditiva.

O levantamento aponta, ainda, que  3,6 milhões têm deficiência motora e 1,7 milhão sofre de deficiência auditiva.

Com sede em Sorocaba (99 km a oeste de São Paulo), a Lado B Moda Inclusiva é um projeto da fisioterapeuta Dariene Rodrigues, 35, que lançou a loja virtual em julho.

Com a experiência de 14 anos de profissão, ela percebeu que havia uma demanda forte nesse setor. "Sempre ouvi meus pacientes falando sobre a dificuldade de encontrar uma roupa", diz ela.

Rodrigues investiu R$ 40 mil no projeto, que incluiu a contratação de uma agência de publicidade (para desenvolver a marca), de um webdesigner (para criar a loja virtual), a entrada no pedido patente dos produtos e gastos com a parte de confecção de uma forma geral. 

A produção é totalmente terceirizada, desde o corte de roupas até a lavagem.

Desde julho, a grife já vendeu 30 peças. Atualmente, a Lado B Moda Inclusiva comercializa suas peças exclusivamente pela internet.

Em outubro ela vai oferecer os produtos para representantes comerciais de empresas do ramo da medicina e ortopedia.

Os modelos de bermuda custam, em média, R$ 158 e as calças variam de R$ 169 a R$ 197,40. A margem de lucro é de 40% a 50% e sua estimativa de retorno é de um ano a um ano meio.

A Lira, na capital paulista, foi fundada pelas amigas Julia Sato, 26, e Inaye Brito, 25, em 2010.

As duas começaram a trabalhar juntas no curso Têxtil e Moda da USP (Universidade de São Paulo) e foram finalistas (4º lugar) do Bezgraniz Couture Award 2012, concurso internacional de moda inclusiva, realizado em Moscou (Rússia).

O site será lançado até o final do ano e uma das atrações é a coleção premiada em Moscou, de nome Asas do Brasil, que homenageia espécies de aves, como arara, tucano e sabiá.

Elaborada para mulheres cadeirantes, a coleção apresenta roupas versáteis, podendo ser utilizadas em festas, no trabalho e no lazer.

Os  preços variam de R$ 70 a R$ 300. Um vestido, por exemplo, possui cinto elástico que ajusta a cintura na posição desejada.

Mercado em expansão

A coordenadora do Concurso de Moda Inclusiva, promovido pela Secretaria dos Direitos da Pessoa com Deficiência do Estado de São Paulo, Daniela Auler, afirma que o mercado de produtos para pessoas com deficiência está crescendo e que artigos diferenciados são importantes.

Segundo a Auler, a moda muda bastante e esses consumidores estão atentos. "Um detalhe diferente na roupa, como um botão de ímã, por exemplo, facilita a vida o consumidor", diz ela.

Plano de logística é fundamental

Para a gestora do projeto Sebrae Mais Acessível, Ana Paula Peguim, do Sebrae-SP (Serviço Brasileiro de Apoio à Micro e Pequena Empresa de São Paulo), é preciso planejar o negócio.

Segundo Peguim, se decidir pelo negócio na internet, o empreendedor deve fazer uma pequisa de mercado para saber quem é o seu consumidor e o seu gosto antes de abrir a empresa.

Outra dica é planejar o pós-venda, principalmente o prazo de entrega e a forma de pagamento. "A logística é fundamental na internet. Não adianta fazer a venda e o cliente não receber o produto no prazo combinado",  afirma ela.

Se decidir por uma loja tradicional, é importante saber se o local tem rampa de acesso, elevador, provador acessível e atendimento qualificado.

Segmentação requer cuidados

De acordo com Ana Maria Peguim, a segmentação requer cuidados. Conhecer o poder de compra, o gosto e as necessidades dos clientes são medidas importantes para evitar prejuízos e frustração.

Segundo Peguim, o empreendedor deve saber que a roupa é um item importante para a pessoa com deficiência. "É que a roupa mexe com sua  auto estima", diz  a gestora do Sebrae.

Onde encontrar:

Lado B Moda Inclusiva: www.ladobmodainclusiva.com.br
Lira: lirainclusiva@gmail.com

 

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos