IPCA
0,42 Fev.2024
Topo

Dono de negócio fica sem férias por anos se não se organizar; veja 5 passos

Afonso Ferreira

Do UOL, em São Paulo

20/01/2015 06h00

A ideia de que ser dono de empresa é poder se ausentar quando quiser é ilusória. Enquanto muita gente descansou no fim do ano, vários micro e pequenos empreendedores se viram presos ao negócio próprio. Por não terem a quem entregar temporariamente o comando, para eles, tirar férias, viajar com a família e se desligar do trabalho são possibilidades distantes.

É o caso dos empresários Douglas Mamizuka, 35, e Maria Adriana de Oliveira, 59, que não tiram férias há, pelo menos, dois anos. Segundo eles, o principal motivo para o longo tempo de trabalho sem parada é a dificuldade em encontrar profissionais que possam substitui-los.

Empresário Douglas Mamizuka, sócio da Gera Center, locadora de geradores de energia em Cotia (SP) - Divulgação - Divulgação
Douglas Mamizuka, sócio da Gera Center, está há dois anos sem férias
Imagem: Divulgação

Mamizuka é sócio da Gera Center, empresa de locação de geradores de energia em Cotia (31 km a oeste de São Paulo). Ele afirma que há dois anos não tira férias, período no qual ele e o irmão assumiram o negócio fundado pelo pai. O máximo que conseguiu se distanciar foram 11 dias neste final de ano, entre os dias 25 de dezembro e 5 de janeiro.

Mesmo assim, o empresário não se desligou do negócio. Diariamente checava os e-mails e resolvia pendências da empresa pelo celular. "Há clientes que só tratam diretamente comigo, não aceitam falar com um funcionário", diz. "Férias em família, para mim, é um sonho de consumo."

Já Oliveira abriu o restaurante L'Express43, em Vargem Grande Paulista (44 km ao sul de São Paulo) há cinco anos e, desde então, não consegue sair de férias. O máximo que conseguiu foi se ausentar por duas semanas, em 2012. "Na época, tinha uma gerente que conseguia tomar conta do negócio sem mim. No entanto, ela saiu para abrir o próprio restaurante", afirma.

A rotatividade de funcionários é o que mais dificulta o treinamento de um substituto, segundo a empresária. "Sempre que começo a treinar alguém para assumir algumas de minha funções, a pessoa sai e tenho de recomeçar do zero. Meu novo gerente tem um mês de casa apenas e não tenho perspectiva de férias por enquanto", declara.

Falta de substituto deixa empresário refém do negócio

Não ter alguém para repassar as principais funções de decisão torna o empresário refém da própria competência, segundo Eduardo Ferraz, consultor em gestão de pessoas e pós-graduado em direção de empresas. "Essa situação faz com que muitos donos de empresas fiquem anos sem tirar férias, o que acaba gerando, além do cansaço, uma dependência ainda maior da equipe", afirma.

Maria Adriana de Oliveira e o marido, Manuel Pereira Pinto, sócios do restaurante L'express43, em Vargem Grande Paulista (SP) - Divulgação - Divulgação
Maria Adriana de Oliveira e o marido, Manuel Pereira, sócios do restaurante L'Express43
Imagem: Divulgação

Para Ricardo Humberto Rocha, professor de finanças da FIA (Fundação Instituto da Administração), o ideal é que o empreendedor planeje a substituição. "Conforme a empresa cresce, é preciso treinar sucessores ou gerentes, ter pessoas que possam assumir tarefas sem a presença dele.”

Ambos recomendam dividir o descanso ao longo do ano. “Talvez o empresário precise quebrar férias para que a empresa não sofra com sua ausência. Senão, ele vai ficar tão ligado ao negócio que não vai conseguir descansar", afirma Rocha. Ferraz indica que, no mínimo, o período de descanso seja de duas semanas.

Veja abaixo cinco dicas dos especialistas para empreendedores planejarem as férias.

1. ELEJA UM SUBSTITUTO
Eleja um substituto na empresa - Thinkstock - Thinkstock
Imagem: Thinkstock

É fundamental treinar e dar autoridade a alguém de confiança para gerenciar o dia a dia da empresa na sua ausência. Nada mais danoso que a falta de um líder. Delegue poderes, mas estipule claramente a autonomia que o substituto terá.

2. RESOLVA AS PENDÊNCIAS
Resolva as pendências - Thinkstock - Thinkstock
Imagem: Thinkstock

Um mês antes das férias, comece a resolver as pendências mais importantes, como a decisão sobre investimentos, a demissão de algum colaborador ou troca de fornecedores. Não deixe para resolver os problemas em cima da hora ou durante o período de descanso.

3. DEIXE UM DEVER DE CASA
Deixe um dever de casa - Thinkstock - Thinkstock
Imagem: Thinkstock

É importante fazer uma análise do que precisa ser feito em sua ausência, estipulando uma meta importante para cada pessoa estratégica. Essa tarefa individual deverá ser realizada sem sua ajuda e os resultados deverão ser mensurados em sua volta. Essa situação acaba sendo uma ótima oportunidade para estimular seus colaboradores.

4. DESLIGUE O CELULAR
Desligue o celular - Reinaldo Canato/UOL - Reinaldo Canato/UOL
Imagem: Reinaldo Canato/UOL

Muita gente sai de férias e passa o dia no computador ou ao celular e ainda avisa: "se houver qualquer problema me ligue", o que significa: "estarei disponível". Férias servem para descansar e também para treinar as pessoas a trabalhar sem você por perto. Desligue o celular, deixe uma mensagem no e-mail sobre a ausência indicando o nome do responsável e peça para ser acionado apenas na urgência.

5. QUEBRE AS FÉRIAS EM DUAS
Quebre as férias em duas - Montagem Divulgação/Getty Images - Montagem Divulgação/Getty Images
Imagem: Montagem Divulgação/Getty Images

Se, mesmo depois de todo o planejamento para sair de férias, você julgar que 30 dias é muito tempo longe da empresa, divida o descanso em dois. Dessa forma, a empresa não sentirá tanto a sua ausência e você poderá descansar e ficar mais despreocupado.