Bolsas

Câmbio

Engenheiro abre empresa de festa do pijama depois de aniversário de filhas

Márcia Rodrigues

Colaboração para o UOL, em São Paulo

As festas do pijama são a aposta de negócio de empresas interessadas em oferecer mais opções para o público, que quer fazer uma festa de aniversário diferente para os filhos.

A Pijamas Party, criada pelo engenheiro Neimar Medeiros, 43, em setembro de 2015, e a Mãe Me Quer, pela publicitária Luciana Beato, 41, em maio de 2013, são dois exemplos.

Nas festas de pijama, são montadas barracas com colchonetes e cobertores para as criança dormirem, normalmente, na casa do aniversariante. Alguns condomínios autorizam que elas passem a noite, sob a supervisão de um adulto, no salão de festa, segundo empresários do setor.

O público-alvo desses eventos são crianças de 5 a 12 anos, das classes A e B. Há opções para meninos e meninas. Entre os temas, Pokémon, Frozen, safári, princesas e time de futebol.

Festa de filhas motivou empresário

O engenheiro Neimar Medeiros, 43, criou a Pijamas Party depois de organizar uma festa do pijama para suas filhas, que fazem aniversário próximo. "Gostei muito de pensar em cada detalhe. Depois da festa, pesquisei em sites de busca e vi que havia procura, mas pouca oferta. Decidi investir na área."

A empresa faturou R$ 200 mil no ano passado e promove cerca de 25 eventos por mês. O lucro não foi revelado.  A festa mais barata custa a partir de R$ 800 (até três barracas mais decoração). A mais cara sai por R$ 6.000 (20 barracas mais decoração). Cada barraca abriga duas crianças para dormir.

Segundo o empresário, os preços variam conforme a quantidade de barraca e o estilo da decoração. Apesar de acreditar no potencial do negócio, Medeiros ainda mantém sua outra empresa de telecomunicações em funcionamento. "Pretendo tocar os dois negócios."

Empresa começou vendendo pijamas

A Mãe Me Quer começou suas atividades em 2013 vendendo apenas pijamas. Em julho de 2014, ela passou a produzir também as festas. "Eu queria transformar o pijama em um presente tão atrativo quanto um brinquedo para as crianças, por isso iniciamos as festas", diz o publicitário Ricardo Anbar, 44, sócio da empresa.

Anbar realiza em média 20 festas por mês. Ele diz que o custo das festas varia muito. O aluguel de uma cabana para duas pessoas com colchonete e roupa de cama sai por R$ 350. E a locação para uma cabana grande (para oito pessoas), com colchonete e roupa de cama, custa R$ 800.

Na maioria das festas, segundo o empresário, o aniversariante compra pijama para ele e os amigos. A peça custa, em média, R$ 100, dependendo do acabamento. Ele não revela faturamento nem lucro, mas diz que a loja de pijama, mantida até hoje, representam 40% do faturamento, e as festas, 60%.

Negócio concorre diretamente com bufê

Para Mônica Lemes Padovani, consultora do Sebrae-SP (Serviço de Apoio às Micro e Pequenas Empresas de São Paulo), as empresas do setor concorrem diretamente com os bufês, que atraem um público que busca um local com mais espaço e variedade de temas para a decoração da festa.

A consultora diz que esse tipo de negócio necessita de casas com mais espaço ou de autorização do condomínio para permitir que as crianças passem a noite no salão de festa, por exemplo. "Isso pode limitar o negócio."

Onde encontrar

Mãe Me Quer : http://www.maemequer.com/
Pijamas Party: http://www.pijamasparty.com.br

 

Claudia Leitte paga R$ 4 mil em pijama usado em reality musical

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos