ipca
0,48 Set.2018
selic
6,5 19.Set.2018
Topo

Empreendedorismo

Empresa quer abrir franquias de mercadinho de bairro em SP por R$ 175 mil

Lucas Gabriel Marins

Colaboração para o UOL, em Curitiba

08/01/2018 04h00

A fabricante de alimentos Zaeli, de Umuarama (PR), procura interessados em abrir mercadinhos de bairro na região metropolitana de São Paulo. O objetivo é chegar a cem franquias até meados de 2018.

O custo total para abrir a franquia pode chegar a R$ 175 mil A empresa não cobra taxa de franquia nem royalties. Mas é preciso investir R$ 5.000 em ações promocionais para a inauguração, planejadas pela própria Zaeli, e ter R$ 10 mil para capital de giro.

Além disso, o franqueado também precisa ter um imóvel que possa ser usado comercialmente. Se for necessário adaptá-lo, o investimento é estimado em R$ 160 mil.

Leia também:

A fabricante financia o primeiro lote de mercadorias em nove meses, sem juros. O empreendedor só precisa pagar pelos produtos depois de vender. Inicialmente, ele recebe os 400 itens (de pipoca a arroz) do catálogo da empresa.

Cada franqueado irá atingir uma área equivalente a 200 mil pessoas por loja.

Valdemir Zago, 63, presidente da Zaeli

Empresa quer candidatos com perfil comercial

O candidato deve ter um imóvel com potencial para virar um comércio. O espaço deve ter entre 150 e 250 m², precisa estar bem cuidado, ter caixas, máquina registradora, cestas para compras e gôndolas para dispor os produtos e prateleiras organizadas.

Caso o interessado não tenha um imóvel com os requisitos exigidos, a empresa fornece o projeto arquitetônico completo, layout padronizado da loja e lista de materiais. O valor da reforma gira em torno de R$ 160 mil, pagos pelo franqueado, que é também o responsável por acompanhar a obra. Os fornecedores são indicados pela Zaeli.

A empresa dá preferência a candidatos que já tenham experiência comercial e conhecimentos básicos de informática. Não há exigência de renda mínima.

Assim que o candidato manifesta interesse, o processo de avaliação demora uma semana. Se for aceito, a empresa marca uma entrevista. Após a conversa oficial, o candidato recebe a resposta, positiva ou negativa, após 20 dias.

Candidatos recebem treinamento

A marca terá exclusividade no ponto de venda. A empresa dá preferência a pessoas que tenham empresa, principalmente na modalidade do Simples Nacional. Apesar disso, não recusa outros regimes tributários e dá apoio jurídico a quem ainda não tem CNPJ.

O tempo determinado para a inauguração da loja depende da preparação do franqueado, como abertura da empresa, dos treinamentos que fará na rede e, principalmente, da necessidade de reformar o imóvel.

A empresa oferece treinamento a todos os franqueados. O curso ocorre na sede da rede, em Umuarama (PR). Durante a capacitação, que dura de três a cinco dias, são repassadas informações sobre os produtos, construção e layout de lojas, utilização de software próprio para vendas e estoque, procedimentos operacionais, gestão de estoque e uso de material de marketing.

Pode vender para empresas e pela internet

A venda direta é a única modalidade de franquia, mas o franqueado pode oferecer em sua loja outras três opções de venda. Ou seja, no mercadinho o franqueado pode ter as quatro formas de venda:

  • Vendas no varejo
  • Vendas corporativas ("food service") para hotéis, bares, restaurantes e outros estabelecimentos.
  • Vendas diretas para o atacado, com os produtos em caixas fechadas. Nessas duas opções, o franqueado é responsável por ir atrás de clientes e revendedores.
  • E-commerce: as compras realizadas pela internet, na área em que a franquia está instalada, são direcionadas para a loja.

O lucro sobre a venda dos produtos é diferente de acordo com a modalidade de vendas. Por exemplo, para produtos da cesta básica (como arroz e feijão), o franqueado lucra 12% nas vendas por atacado e nas vendas corporativas, 15% na venda direta e 20% no e-commerce. Já com os itens da cesta "variedades" (como vinhos produzidos pela empresa no Chile), o empresário lucra 18% no atacado e nas vendas corporativas, 20% na venda direta e 25% no e-commerce.

Confira os dados da franquia fornecidos pela empresa:

  • Investimento inicial: R$ 15 mil (inclui capital de giro e ações promocionais para a inauguração) + R$ 160 mil (reforma), caso o imóvel não esteja nos padrões estabelecidos pela empresa
  • Faturamento médio mensal: R$ 150 mil
  • Lucro médio mensal: R$ 22,5 mil (15% do faturamento)
  • Prazo de retorno previsto: de 12 a 24 meses

É essencial seguir padrão de atendimento

Para o coordenador do curso de administração da PUC-PR, Allan Inácio, a empresa acertou ao continuar sua expansão focando em pequenos distribuidores de bairro.

Focar em pequenos distribuidores custa menos para a empresa e tem o poder de espalhar a marca sem precisar colocar os produtos em grandes supermercados.

Allan Inácio, coordenador do curso de administração da PUC-PR

Ele diz, no entanto, que é necessário criar um modelo de franquia estruturado, com regras claras para ambas as partes. Caso contrário, o fabricante pode ter a imagem manchada. "Se você tiver um parceiro que atende mal, isso afeta a empresa, pois o consumidor não vê a franquia, mas sim a marca."

Já para Cleverson Renan da Cunha, professor de empreendedorismo da Universidade Federal do Paraná (UFPR), a Zaeli precisa convencer as pessoas de que é a melhor opção de investimento. "Se a empresa quiser ganhar posição no mercado, é necessário ter tempo e paciência para explicar as vantagens de seu projeto."

Onde encontrar:

Zaeli - http://www.franquiazaeli.com.br/

Newsletters

Receba dicas para investir e fazer o seu dinheiro render.

Quero receber

Mais Empreendedorismo