ipca
-0,09 Ago.2018
selic
6,5 19.Set.2018
Topo

Empreendedorismo

Jovem que perdeu braço em ataque no trem usa indenização e abre barbearia

Fábio Munhoz

Colaboração para o UOL, em São Paulo

01/02/2018 04h00

Alvo de um ataque de skinheads que resultou na amputação de seu braço direito em dezembro de 2003, Flávio Cordeiro, 30, superou as dificuldades e hoje é empreendedor. Com parte do dinheiro que recebeu de indenização por causa das agressões sofridas, abriu uma barbearia em Mogi das Cruzes, na Grande São Paulo.

Na ocasião, quando tinha 15 anos, ele e um amigo foram atacados por um grupo de três skinheads, que os agrediram e os obrigaram a pular do trem em movimento. Após a queda, Cordeiro teve o braço decepado e o jovem que estava com ele, Cleyton da Silva Leite, 20, morreu.

Leia também:

Em março do ano passado, ele investiu cerca de R$ 30 mil para abrir a Barbearia Cordeiro, em Mogi das Cruzes. O estabelecimento fechou o ano com média de 170 clientes por mês. O faturamento e o lucro não foram divulgados.

“De lá para cá eu sempre estudei e trabalhei. Sempre procurei tocar a vida normalmente”, diz Cordeiro, que se formou em Logística e trabalhou na área até 2015.

Em oito meses, espaço foi ampliado

Em novembro do ano passado, após identificar aumento na demanda, alugou o andar de cima do imóvel onde a barbearia está instalada. “Comecei com duas cadeiras e em seguida coloquei mais uma no piso inferior. Depois, peguei a parte de cima e coloquei mais duas. Hoje são cinco cadeiras.”

Cordeiro também acrescentou um novo serviço no pavimento superior: um estúdio de tatuagem. “Fiz uma parceria com um tatuador. Eu não cobro nada em cima do serviço dele, mas nós dividimos o valor do aluguel”, diz. Não há sócios na barbearia.

Para garantir o entretenimento, os clientes têm à disposição um videogame Xbox One. A casa também vende cervejas e refrigerantes. A decoração tem temática retrô e, no som, muito rock. “Eu me identifico com esse estilo. Aliás, foi o que me motivou a abrir a barbearia”, afirma.

Aumento da concorrência não assusta, diz proprietário

Apesar de as barbearias estarem na moda, Cordeiro diz que o aumento da concorrência não o preocupa. “Estou tranquilo em relação a isso. Acho que tem espaço para todo mundo. Além disso, aqui no bairro somos os únicos nesse estilo e com esses preços”, diz o proprietário.

Neste ano, ele espera ter um faturamento 50% maior do que em 2017. Além de ter ampliado os postos de atendimento, o empresário aposta em acrescentar outro serviço aos clientes em 2018: limpeza de pele.

Atualmente, o estabelecimento oferece corte de cabelo (R$ 25), corte de barba convencional (R$ 25) e corte de barba com toalha quente (R$ 35). Os tratamentos com química, como relaxamento, escova progressiva e tintura são feitos a partir de R$ 60.

Os planos de expansão do empresário são ainda mais ambiciosos. Ele planeja formatar a barbearia para se tornar uma franquia. “Se aparecer um investidor interessado, a gente monta toda a estrutura e deixa que use nosso logo.”

Negócios da moda são arriscados, diz especialista

O professor Nelson Destro Fragoso, coordenador da incubadora de empresas da Universidade Presbiteriana Mackenzie, afirma que os negócios que estão em alta por causa de modismos tendem a oferecer mais riscos ao empreendedor. “O paralelo que eu traço é com as paleterias mexicanas, que ficaram na moda algum tempo e hoje sumiram.”

Segundo o professor, os estabelecimentos que sobrevivem à moda são aqueles que inovam e se adaptam às novas tendências do mercado. “No caso das paleterias, alguns empresários ajustaram o negócio e passaram a vender outro produto junto.”

Fragoso diz que as pessoas que projetam entrar no negócio devem pensar a longo prazo e buscar conhecimento técnico sobre o setor. “É preciso conhecer a dinâmica de funcionamento em relação a horários, fornecedores, ganhos. Tem que saber o mundo em que você está entrando.”

Para quem, assim como Cardoso, receber um dinheiro extra e pensar em empreender, o professor dá uma dica. “Veja se você realmente tem espírito empreendedor. Quem pensa em abrir o próprio negócio para não ter mais chefe está muito enganado. Se você tem cem clientes, você não tem mais um chefe, e sim cem chefes.”

Onde encontrar:

Barbearia Cordeiro - https://www.facebook.com/barbeariacordeiro.mogi

Homens vaidosos usam até hidratante para manter a barba bonita

Universa

Mais Empreendedorismo