IPCA
0.13 Mai.2019
Topo

Empreendedorismo


Escola ensina criança a montar e pilotar drone; curso custa R$ 1.500

Claudia Varella

Colaboração para o UOL, em São Paulo

2018-11-27T04:00:00

27/11/2018 04h00

Levar drones para dentro da escola foi a forma encontrada por empresários de Curitiba (PR) para passar noções de robótica, física e matemática de forma lúdica, e ensinar às crianças habilidades importante para o futuro.

A Drone Kids School ensina crianças na faixa etária de 8 a 14 anos a montar e pilotar um drone. O curso tem dois módulos: "Piloto de drone race" (para crianças de 8 a 12 anos) e "A fantástica fábrica de drones" (para crianças de 12 a 14 anos). Cada módulo custa R$ 1.500. Ao final do curso, eles participam de uma corrida de drones.

Leia também:

"As aulas são lúdicas, para que o aluno aprenda brincando tudo sobre drones e tenha, embutido nessa brincadeira, noções de robótica, física, matemática, por exemplo", declarou Márcio Vieira, 45, fundador e CEO da Drone Kids School.

"Considerando que os drones são ferramentas relacionadas às profissões mais demandadas do futuro, é de extrema importância preparar as crianças desde cedo para essas novas habilidades e requisitos", declarou.

A escola foi criada em março de 2017, em Curitiba (PR), mas os cursos foram iniciados no ano letivo de 2018. Além de Vieira, há outros dois sócios: Marcos Cavallim, 48, e Elton Niedzwiedz, 34.

O investimento inicial foi de R$ 100 mil. A empresa não revela faturamento nem lucro médio mensais. Segundo Vieira, em outubro a startup recebeu um aporte de R$ 500 mil do Grupo JCS, um investidor-anjo.

Drones pequenos são liberados

Segundo a empresa, os drones que os alunos constroem e manipulam pesam 60 gramas e são do tamanho da palma da mão. Pelo regulamento da Anac (Agência Nacional de Aviação Civil), os drones com peso máximo de decolagem (contando peso do equipamento, bateria e eventual carga) de até 250 gramas não precisam ser cadastrados junto ao órgão.

"Na prática, seu uso é liberado e não tem riscos nem para o operador nem para terceiros nem para o espaço aéreo", afirmou Vieira.

Aulas em escolas parceiras

As atividades extracurriculares são realizadas uma vez por semana em escolas particulares, dentro da sala de aula. Cada módulo tem duração de um ano letivo (32 aulas) e custa R$ 1.500. A empresa repassa de 10% a 15% do valor da mensalidade para a escola parceira.

O curso é ministrado pela Drone Kids School em cinco escolas particulares de Curitiba. A empresa atua em outras 20 escolas de 12 estados, por meio do parceiro Positivo Tecnologia Educacional, que tem licenciamento para usar a marca e a metodologia do curso. "Fazemos a capacitação de professores em nossa plataforma", disse Vieira.

Nas férias escolares, a escola mantém um curso gratuito (apenas o módulo 1) para 20 alunos atendidos no projeto social do Instituto Bom Aluno, também na capital paranaense.

Corrida de drones no fim do curso

No módulo "Piloto de drone race", o curso é focado na pilotagem esportiva dos drones, e a teoria aborda questões de matemática, física, aerodinâmica e ciência aplicada, por exemplo. "Os alunos aprendem tudo sobre drone, usando na aula um aparelho já pronto", disse Vieira.

Ao final do módulo, eles participaram de uma corrida de drones com controle remoto e usando óculos especiais para FPV (First Person View), que permitem "assistir" ao voo como se o aluno estive no drone, segundo a empresa.

Direcionado a uma faixa etária maior (de 12 a 14 anos), o módulo "A fantástica fábrica de drones" ensina o aluno a construir o seu próprio drone, e os conceitos abordados são impressão 3D, design, inteligência artificial, programação, blockchain, realidade virtual e robótica, entre outros.

Empresa deve sempre inovar, diz consultora

Para Roberta Sodré, 51, consultora de inovação e tecnologia do Sebrae-SP, a Drone Kids School está alinhada com a expectativa do futuro, ao atuar com competências e inteligências de um público-alvo que tem facilidade para lidar com novas tecnologias.

"O público-alvo é certeiro, e as escolas tendem a incrementar o contraturno escolar [atividades fora do horário regular de aulas] com disciplinas extracurriculares, como robótica, nas quais os alunos desenvolvem projetos, tendo o professor como um curador. E aula de drones pode entrar nesse nicho. Portanto, a empresa atua num segmento de mercado em expansão", afirmou.

Roberta disse, no entanto, que o negócio exige constante reposicionamento perante a inovação. "O desafio da Drone Kids School é manter o drone interessante, ampliar a sua utilização e se preparar para as novas tecnologias que virão", declarou.

Onde encontrar:

Drone Kids School - www.dronekids.com.br

Veja os robôs e invenções malucas que a Disney está preparando

UOL Notícias

Mais Empreendedorismo