PUBLICIDADE
IPCA
1,06 Abr.2022
Topo

OPINIÃO

Texto em que o autor apresenta e defende suas ideias e opiniões, a partir da interpretação de fatos e dados.

Banco do Brasil confirma bom desempenho e segue como preferência do Pagbank

Alexandre Moreira/Brazil Photo Press
Imagem: Alexandre Moreira/Brazil Photo Press
Conteúdo exclusivo para assinantes

Research do PagBank

13/05/2022 13h39

O Banco do Brasil (BBAS3) divulgou nesta quinta-feira (12) seu balanço do primeiro trimestre de 2022, registrando lucro líquido recorde de R$ 6,6 bilhões — um aumento de 34,6% na comparação com o mesmo período do ano anterior. O resultado veio acima do esperado pelo mercado, que já eram bastante otimistas.

Segundo o banco, o bom desempenho é influenciado pelos seguintes motivos:

  • Crescimento de 5,6% da margem financeira bruta;
  • Aumento de 9,4% das receitas de prestação de serviços;
  • Crescimento de 20,1% no resultado de participações em controladas, coligadas e JV;
  • Elevação de 6% nas despesas administrativas

A carteira de crédito ampliada totalizou R$ 883,5 bilhões, uma alta de 16,4% na comparação com primeiro trimestre de 2021, com destaque para o crescimento da carteira pessoa física e agronegócio, que cresceram 14,9% e 28,2%, respectivamente.

A margem financeira bruta, que mede o resultado com operações que rendem juros, foi de R$ 15,3 bilhões no período — alta de 5,6% na comparação o primeiro trimestre do ano anterior, mesmo com o impacto da elevação da taxa básica de juros (Selic) sobre os custos de captação do dinheiro.

O Retorno sobre o Patrimônio Líquido (ROE), um indicador de rentabilidade, reportado pelo Banco do Brasil foi de 17,3%, uma alta de 3,1 ponto percentual, diminuindo a disparidade do indicador com os seus pares privados.

Houve um aumento na provisão para devedores duvidosos (PDD) de 9,3%, totalizando R$ 2,758 bilhões. A taxa de inadimplência atingiu 1,89%, alta de 0,14 ponto percentual. Apesar de o aumento no indicador, o Banco do Brasil permanece com a menor inadimplência do setor, confirmando o perfil mais defensivo e resiliente de seu portfólio.

O forte resultado de Banco do Brasil, somado a uma carteira de crédito com baixa inadimplência, reitera nossa preferência pelas ações de BBSA3 no setor bancário.

O bom crescimento da carteira de crédito do banco indica que a demanda por crédito continua forte e deve permitir a recuperação margem financeira através do repasse do maior custo de captação.

Dividendos

O Banco do Brasil aprovou o pagamento de R$ 1,9 bilhão em proventos, sendo R$ 443 milhões em forma de dividendos e R$ 1,4 bilhão em juros sobre o capital próprio.

Vale destacar que o valor por ação, já líquido de imposto é de R$ 0,439. O dividend yield (DY) é de 1,73%, com base no preço de R$ 34,29 do dia 11 de maio.

O pagamento está agendado para o dia 31 de maio, com a data de corte no dia 23 e a data ex no dia 24 de maio.

PUBLICIDADE

As opiniões emitidas neste texto são de responsabilidade exclusiva da equipe de Research do PagBank e elaboradas por analistas certificados. O PagBank PagSeguro e a Redação do UOL não têm nenhuma responsabilidade por tais opiniões. A única intenção é fornecer informações sobre o mercado e produtos financeiros, baseadas em dados de conhecimento público, conforme fontes devidamente indicadas, de modo que não representam nenhum compromisso e/ou recomendação de negócios por parte do UOL. As informações fornecidas por terceiros e/ou profissionais convidados não expressam a opinião do UOL, nem de quaisquer empresas de seu grupo, não se responsabilizando o UOL pela sua veracidade ou exatidão. Os produtos de investimentos mencionados neste material podem não ser adequados para todos os perfis de investidores que, antes de qualquer decisão, deverão preencher o questionário de suitability para a identificação do seu perfil de investidor e da compatibilidade do produto de investimento escolhido. As informações aqui veiculadas não devem ser consideradas como a única fonte para o processo decisório do investidor, sendo recomendável que este busque orientação independente e leia atentamente os materiais técnicos relativos a cada produto. As projeções e preços apresentados estão sujeitos a variações e podem impactar os portfolios de investimento, causando perdas aos investidores. A rentabilidade obtida no passado não representa garantia de resultados futuros. Este conteúdo não deve ser reproduzido no todo ou em parte, redistribuído ou transmitido para qualquer outra pessoa sem o consentimento prévio do UOL.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL