Só para assinantesAssine UOL

Dono do Pão de Açúcar (PCAR3) fecha acordo para vender supermercados e socorro do governo para Gol (GOLL4) e empresas aéreas: as mais lidas da semana

A notícia mais lida da semana foi sobre o Pão de Açúcar (PCAR3), já que seu dono, o Casino Guichard-Perrachon, firmou um acordo para vender quase todos os supermercados na França.

Outra notícia de destaque foi sobre a Gol (GOLL4). Quais são os planos do governo para as empresas aéreas?

O maior investidor pessoa física do Brasil, Luiz Barsi, abriu a carteira para 2024. Veja quais ações foram adicionadas por ele ao portfólio.

Em dia de perdas, o Magazine Luiza (MGLU3) e a Casas Bahia (BHIA3) acabaram penando no Ibovespa na segunda-feira (22). Quais os motivos?

Por fim, o rendimento de 1% ao mês acabou e a expectativa é de que a renda variável entregue mais em 2024.

Veja a seguir um resumo das principais notícias desta semana. Para acessar as matérias completas, é só acessar os links. Bom final de semana!

1.   Casino, dono do Pão de Açúcar (PCAR3), fecha acordo para vender quase todos os supermercados na França

O Casino Guichard-Perrachon, proprietário do Pão de Açúcar, divulgou na última quarta-feira (24) que concretizou um novo acordo para realizar a venda de quase todos os seus super e hipermercados situados na França.

De acordo com o Casino, essa venda será realizada para o Groupement Les Mousquetaires e ao Auchan Retail France, por um montante entre 1,3 bilhão e 1,35 bilhão de euros. As negociações estavam sendo feitas pelas companhias há aproximadamente um mês.

Continua após a publicidade

2.   Socorro para Gol (GOLL4)? Entenda planos do governo para companhias aéreas

O jornal O Globo anunciou que o Governo Federal estaria elaborando novas medidas para auxiliar as empresas do setor aéreo, que estejam "sofrendo" com prejuízos e dívidas geradas com a pandemia de Covid-19, incluindo Gol (GOLL4), Azul (AZUL4), dentre outras.

Esse conjunto de medidas que está sendo discutido incluiria a diminuição de dívidas regulatórias das companhias aéreas, de tarifas aeroportuárias, e incluiria a renegociação de débitos tributários, assim como uma linha de crédito por meio do BNDES.

3.   Luiz Barsi abre a carteira para 2024: "Rico é quem se contenta com o que tem, eu sou pobre"

Luiz Barsi tem um grande legado como o maior investidor individual da bolsa de valores brasileira. Durante uma live feita na última segunda-feira (22), ele trouxe as suas percepções para 2024, além de indicar onde investir.

"Não estou otimista com o resultado das empresas para 2024. O nosso governo tem uma necessidade muito grande de recursos e ele vai buscar nos tributos", disse Barsi durante live. As movimentações mais recentes do investidor incluem a adesão de 2 novas empresas para sua carteira de investimentos: Caixa Seguridade (CXSE3) e Auren (AURE3).

Continua após a publicidade

4.   Dia de perdas: Magazine Luiza (MGLU3) e Casas Bahia (BHIA3) penam no Ibovespa hoje; saiba por quê

As ações de Magazine Luiza (MGLU3) e Casas Bahia (BHIA3) registraram quedas na última segunda-feira (22), em meio aos juros em alta depois da notícia de lançamento de uma nova política industrial do governo, influenciando de forma direta o setor de varejo.

Ao final do pregão de segunda-feira, as ações ordinárias do Magazine Luiza recuaram 3,94%, cotadas a R$ 1,95. Já as ações ordinárias de Casas Bahia (BHIA3) recuaram 1,18%, a R$ 9,24. Em 2024, os papéis do Magalu tinham caído 8,78%, enquanto as ações da Casas Bahia apresentaram queda de 19,77%.

5.   Aquele 1% ao mês acabou! Veja por que a renda variável vai entregar mais que a fixa em 2024

A última decisão do Copom foi de diminuir a taxa Selic em 0,50 ponto percentual, chegando a 11,75% ao ano. Com isso, os ativos da renda fixa relacionados a 100% do CDI já não entregam mais 1% ao mês. Nesse sentido, a renda variável ganhou força por gerar rendimentos mensais superiores a 1% em 2024.

Para Gustavo Harada, chefe da mesa de renda variável da Blackbird Investimentos, as taxas de juros em nível baixo, inflação controlada e alta do fluxo de capital estrangeiro esteve colaborando para essa alteração de perspectiva.

Continua após a publicidade

"O quadro ainda deve melhorar. Com o mercado precificando cortes na taxa de juros dos Estados Unidos para este ano, a gente acredita que o fluxo de capital estrangeiro deva ser positivo para mercados emergentes", afirma Harada.

Assim, do Pão de Açúcar aos ativos de renda fixa, essas foram as matérias mais lidas da semana do Suno Notícias.

Este material foi elaborado exclusivamente pelo Suno Notícias (sem nenhuma participação do Grupo UOL) e tem como objetivo fornecer informações que possam auxiliar o investidor a tomar decisão de investimento, não constituindo nenhum tipo de oferta de valor mobiliário ou promessa de retorno financeiro e/ou isenção de risco. Os valores mobiliários discutidos neste material podem não ser adequados para todos os perfis de investidores que, antes de qualquer decisão, deverão realizar o processo de suitability para a identificação dos produtos adequados ao seu perfil de risco. Os investidores que desejem adquirir ou negociar os valores mobiliários cobertos por este material devem obter informações pertinentes para formar a sua própria decisão de investimento. A rentabilidade de produtos financeiros pode apresentar variações e seu preço pode aumentar ou diminuir, podendo resultar em significativas perdas patrimoniais. Os desempenhos anteriores não são indicativos de resultados futuros.

Veja também

Deixe seu comentário

Só para assinantes

As mais lidas agora