PUBLICIDADE
IPCA
0,87 Ago.2021
Topo

Poupança é opção para reserva de emergência? Veja o que dizem especialistas

Conteúdo exclusivo para assinantes

Colaboração para o UOL, em São Paulo

28/07/2021 04h00

Isenta de Imposto de Renda, segura e fácil para tirar e colocar dinheiro, a poupança é o produto financeiro mais popular do país, com mais de R$ 1 trilhão aplicados. Apesar disso, ela não é a preferida entre os profissionais de finanças. O motivo é que a caderneta rende apenas 70% da taxa básica de juros, a Selic —que hoje está em 4,25% ao ano.

Mas nem para a reserva de emergência a poupança vale? A reserva de emergência é aquele dinheiro que cobre ao menos seis meses dos seus gastos mensais caso você precise. Como esse dinheiro é para emergência, ele deve estar disponível de forma fácil. Veja abaixo o que disseram as especialistas presentes no encontro do Guia do Investidor UOL sobre a poupança ser uma opção para a reserva, e entenda o papel da caderneta na sua vida financeira.

Há opções melhores para a reserva

Apesar de cumprir os requisitos para os investimentos destinados para a reserva, como ter liquidez imediata, a poupança pode ser uma opção para esse objetivo, segundo Ilana Bobrow, sócia-fundadora da casa de análises Vitreo e Amanda Dias, planejadora financeira e criadora do Grana Preta.

Se o objetivo é guardar o dinheiro que vai cobrir imprevistos de última hora, como despesas médicas ou uma situação de desemprego, a caderneta está liberada. Mas ainda assim, existem alternativas seguras para aplicar esses recursos com mais rendimento.

"É muito mais interessante você pegar 100% da Selic (taxa de juros da economia) do que só 70%. Então se você tirar o dinheiro da poupança e colocar no Tesouro Selic (título do Tesouro Direto), que também é seguro e pode sacar a qualquer momento, seu dinheiro estará rendendo 4,25% ao ano", disse Amanda Dias.

Brasileiro não vê meio-termo

Até pouco tempo atrás, era mais fácil ter uma conta poupança do que abrir uma conta corrente no banco. Ainda que muita gente tenha migrado para investimentos mais rentáveis nos últimos tempos, a poupança ainda é a aplicação predileta do brasileiro.

"As pessoas acham que investimento é o sobe e desce da Bolsa e que ser conservador é a poupança. Elas não entendem que existe algo no meio do caminho", afirmou Ilana Bobrow.

Mas a praticidade já não é mais desculpa para ficar só na poupança. Hoje, dá para abrir conta numa corretora sozinho, pelo aplicativo no celular, sem sair de casa.

Por que mesmo assim tanta gente ainda prefere a caderneta?

"As pessoas têm uma falsa percepção de que a poupança é para poupar e investimentos são como um cassino", afirmou Ilana.

Ainda que a poupança tenha um papel de iniciação para o investidor, é importante que ele saiba dar os próximos passos e busque opções mais rentáveis.

Amanda Dias dá orientação financeira para autônomos e microempreendedores de baixa renda e, para ela, estimular a busca por outros investimentos é falar de forma didática sobre eles.

"As pessoas que começam a ter acesso à informação querem sim melhor destino para o seu dinheiro. Mas esse acesso precisa ser simples, livre e acolhedor, para que elas se sintam motivadas a investir", disse Amanda.

Este material é exclusivamente informativo, e não recomendação de investimento. Aplicações de risco estão sujeitas a perdas. Rentabilidade do passado não garante rentabilidade futura.

PUBLICIDADE

O Guia do Investidor UOL é uma série de eventos quinzenais e gratuitos que apresenta todos os passos para quem quer aprender a investir e entender melhor sobre o mercado financeiro. Veja as histórias inspiradoras e dicas de especialistas para multiplicar o seu dinheiro