PUBLICIDADE
IPCA
0,47 Mai.2022
Topo

Via, dona das Casas Bahia, sobe 6% enquanto outras varejistas caem; entenda

Casas Bahia: Bahianinho é avatar da empresa, que pertence à Via (antiga Via Varejo) - Reprodução
Casas Bahia: Bahianinho é avatar da empresa, que pertence à Via (antiga Via Varejo) Imagem: Reprodução
Conteúdo exclusivo para assinantes

Lílian Cunha

Colaboração para o UOL, em São Paulo

25/05/2022 14h45

As ações da Via (VIIA3), dona das Casas Bahia, Ponto e do e-commerce Extra, tiveram alta de 6,27% nesta quarta-feira (25), cotadas a R$ 3,22. Enquanto isso, outras varejistas caíram, como Americanas (AMER3), com desvalorização de 4,33% (a R$ 21,89) e Magazine Luiza (MGLU3), com baixa de 0,27% (a R$ 3,70).

Por que a Via está subindo enquanto outras empresas do setor estão despencando na Bolsa? E vale a pena investir na companhia? Veja abaixo o que dizem os especialistas consultados pelo UOL.

"Via está descolada de seus pares de setor, porque os investidores continuam trocando de ações entre as empresas do mesmo ramo, procurando as barganhas dentro do mercado de ações", afirma Regis Chinchila, analista da Terra Investimentos.

Os papéis da empresa são os mais baratos do setor. Chegaram a custar R$ 2,77 em 6 de maio.

As empresas de varejo como Via e Magalu continuam em maus lençóis por diversos fatores, de acordo com os analistas: inflação em alta, juros subindo, margem de lucro das companhias encolhendo. "Elas seguem queimando caixa, focadas em diminuir custos e despesas", diz Chinchila.

Vale a pena comprar VIIA3?

Para o investidor que gosta de comprar ações baratas e deixá-las na gaveta no médio (a partir de um ano a até quatro anos) e longo prazo (mais de cinco anos), adquirir VIIA3 é uma boa oportunidade, segundo Chinchila.

"Atualmente, consideramos os descontos nestas empresas [Via e Magazine Luiza] como uma oportunidade de longo prazo, desde que daqui algum tempo haja melhoria nos níveis de consumo, crédito e inflação", afirma. No curto prazo — ou pelo menos, até metade do semestre que vem — isso não deve acontecer.

Mas para a maioria das casas de análise, como Banco do Brasil, Bradesco BBI, Citi, Credit Suisse, Via é uma ação neutra: é melhor não comprar agora. E caso o investidor venda, pode ter prejuízo.

Este material é exclusivamente informativo, e não recomendação de investimento. Aplicações de risco estão sujeitas a perdas. Rentabilidade do passado não garante rentabilidade futura.