PUBLICIDADE
IPCA
1,06 Abr.2022
Topo

Autoridades da Rússia desmentem carência de açúcar e trigo no país

Russos têm se apressado em comprar mantimentos nos últimos dias - cottonbro/ Pexels
Russos têm se apressado em comprar mantimentos nos últimos dias Imagem: cottonbro/ Pexels

Da AFP

21/03/2022 11h18Atualizada em 21/03/2022 11h18

As autoridades russas tentaram, nesta segunda-feira, desmentir as informações sobre a escassez de açúcar e trigo no país, enquanto os russos têm se apressado em comprar mantimentos nos últimos dias com medo de que esses dois itens essenciais possam vir a faltar.

O Ocidente adotou sanções severas contra a Rússia por sua ofensiva na Ucrânia e uma parte da população, traumatizada pelos desabastecimentos dos anos 1990, vem fazendo estoques de açúcar - utilizado para conservar alimentos - e de grãos de trigo, comumente utilizado para fazer mingau, a famosa "gretchka", popular em tempos de crise.

"Já, assim como na primeira onda da pandemia, constatamos uma corrida pelo açúcar e pela gretchka. Como em 2020, hoje, eu quero acalmar nossos cidadãos: nós somos inteiramente autossuficientes em açúcar e em trigo sarraceno", afirmou a vice-primeira-ministra russa Viktoria Abramchenko.

Segunda ela, "o complexo agro-industrial russo abastece totalmente o país de bens alimentares de base" e não há risco de "carestia alimentar sob pressão das sanções".

"Nós estamos totalmente abastecidos de sementes russas dos principais cereais", completou ela em uma reunião governamental, segundo as agências de notícias russas.

Os vídeos divulgados nas redes sociais nos últimos dias na Rússia mostram pessoas esvaziando as prateleiras de pacotes de açúcar dos supermercados ou ainda cartazes com "Não há mais açúcar" pendurados em algumas lojas.

As medidas de racionamento de certos produtos, incluindo o açúcar, também foram implementadas por alguns supermercados, enquanto os preços sobem depois de já terem sofrido uma inflação elevado desde o início da pandemia.