PUBLICIDADE
IPCA
+0,83 Mai.2021
Topo

Aluguel de luxo cai em Manhattan (EUA) por falta de inquilinos

Oshrat Carmiel

10/03/2016 13h21

(Bloomberg) - No One Riverside Park, uma nova torre de luxo de condomínio no Upper West Side de Manhattan, em Nova York (EUA), um apartamento de quatro dormitórios sem estrear, está disponível para alugar por US$ 22.995 por mês - cerca de US$ 2.000 a menos do que o proprietário estava querendo em janeiro.

O apartamento de 260 metros quadrados, com janelas do chão ao teto e vistas panorâmicas do Rio Hudson, tem competido por inquilinos. 45% das 161 unidades que foram vendidas no edifício estão para alugar, de acordo com uma análise de anúncios website StreetEasy.com.

Um boom de desenvolvimento de condomínios, que acrescentou milhares de casas de luxo ao mercado de Manhattan está beneficiando inquilinos dispostos a pagar por acomodações de alto nível. Os compradores - em muitos casos investidores de fora da cidade - estão tomando posse de seus apartamentos novos e buscando se tornar proprietários. Isso provoca inchaço do número de aluguéis de luxo disponíveis e empurra para baixo os custos de locação para os inquilinos ricos.

"A atividade de vendas de luxo em Manhattan trouxe mais aluguéis de luxo", disse Jonathan Miller, presidente do avaliador Miller Samuel com sede em Nova York. "É o fornecimento escondido entrando no mercado."

A renda mediana para um apartamento de luxo em Manhattan - definido como o 10% mais alto do mercado - caiu 4,2% em fevereiro em comparação com o ano anterior, para US$ 8.000 por mês, disseram Miller Samuel e o corretor Douglas Elliman em um relatório na quinta-feira. Foi a sétima vez no ano passado que os preços dos aluguéis mais caros do distrito ficaram iguais ou diminuíram.

Em contraste, o mercado de arrendamento não-luxuoso, reforçado pelo crescimento do emprego e da procura daqueles que ainda não podem se dar ao luxo de comprar um imóvel, teve 23 meses consecutivos de crescimento anual de aluguel antes de cair 0,4% em fevereiro, para uma mediana de US$ 3.235.

"É mais suave na parte superior e isso está distorcendo a percepção do desempenho do mercado", disse Miller. "O equilíbrio do mercado está se saindo melhor do que o mercado de luxo".

Compras com Investidores

Condomínios de luxo têm atraído compradores de fora de Manhattan que não têm nenhuma intenção de viver neles, e as casas são alugadas para cobrir os custos, disse Miller. Depois de Londres, Nova York é a cidade mais importante para investidores ultra ricos, que veem os imóveis como um refúgio seguro para o dinheiro, de acordo com o Wealth Report 2016 feito pela corretora Knight Frank.

Das 1.522 vendas por desenvolvedores registradas no ano passado em edifícios recém-construídos de Manhattan, 559 - cerca de 37% - estavam para alugar depois, de acordo com StreetEasy. Edifícios com algumas das maiores taxas de condomínio-para alugar incluem o 50 United Nations Plaza de Zeckendorf Development, onde 44% dos 39 apartamentos vendidos no ano passado estavam para locação, mostram os dados da StreetEasy.

Os condomínios também competem com as torres de aluguel tradicionais criadas por desenvolvedores multifamiliares. Este ano, mais de 6.700 apartamentos recém construídos serão colocados para alugar, o maior desde 2005, de acordo com dados da divisão de pesquisa de novos desenvolvimentos da Citi Habitats. A maioria dessas unidades terá preço na faixa de luxo do mercado, disse a corretora em dezembro.

Condomínios idênticos

Os efeitos do excesso de oferta são evidentes em edifícios, tais como o One Riverside Park, uma torre de 35 andares na 62nd Street construída por Extell Development. O proprietário que quer US$ 22.995 por mês comprou o apartamento no 11º andar em outubro por US$ 6,84 milhões. Uma unidade idêntica no 12º andar também está para alugar, por US$ 20.000 por mês. Isso é 20% menos do que os US$ 25.000 que o proprietário queria em novembro.

Condomínios recém-construídos muitas vezes são grandes e ocupam todo um andar - uma categoria de aluguel que é relativamente nova para o mercado e ainda não foi testada, disse Yuval Greenblatt, que supervisiona as vendas e locações em Nova York para Douglas Elliman. Como foram vendidos outros condomínios de alto perfil, como o 56 Leonard e o centro Four Seasons Residences no centro, em 30 Park Place, seus corretores estão monitorando quantos deles voltarão como aluguéis.

Crise afeta mercado imobiliário e empresas devolvem imóveis

Band Notí­cias