ipca
-0,09 Ago.2018
selic
6,5 19.Set.2018
Topo

Carro é incendiado na ponte Rio-Niterói; trânsito já foi liberado

Reprodução/TV Globo
Carro incendiado ao lado de faixa: "Podres poderes. Trabalhador resiste" Imagem: Reprodução/TV Globo

Do UOL, em São Paulo

10/11/2017 08h49

Um carro foi incendiado na ponte Rio-Niterói, sentido Rio, por volta das 6h30 desta sexta-feira (10), causando lentidão no trânsito no local. Imagens aéreas mostravam uma faixa ao lado do carro com os dizeres "Podres poderes. Trabalhador resiste".

A Ecoponte, concessionária que administra a via, afirmou ao UOL que foi um incêndio intencional, ou seja, que pessoas colocaram fogo no veículo e deixaram o local, mas não confirmou que foi motivado por um protesto de trabalhadores. 

A ponte foi interditada no sentido Rio para apagar o fogo. Segundo a Ecoponte, em 10 minutos conseguiram liberar três faixas para o trânsito e apenas uma ficou interditada. O veículo foi guinchado e removido por volta das 7h, e as quatro faixas foram liberadas. 

O incêndio ainda tem reflexos no trânsito no sentido Rio. Segundo a Ecoponte, por volta das 8h30 havia retenção dos acessos ao Mocanguê, levando 17 minutos.

Dia de protestos

Centrais sindicais convocaram manifestações em diversas cidades do país nesta sexta-feira (10) para protestar contra a reforma trabalhista. A mudança nas leis trabalhistas foi sancionada pelo presidente Michel Temer em julho, mas entra em vigor apenas neste sábado (11). Os sindicatos também protestam contra a reforma da Previdência, que voltou à pauta de negociação entre o governo e os membros do Congresso.

O "Dia Nacional de Paralisação", como é chamado, foi convocado pelas principais representantes de trabalhadores, como CUT (Central Única dos Trabalhadores), Força Sindical, UGT (União Geral dos Trabalhadores), NCST (Nova Central Sindical de Trabalhadores), CTB (Central dos Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil), CSB (Central dos Sindicatos Brasileiros) e Fórum Sindical de Trabalhadores.

No Rio, o protesto está marcado para as 16h, na Candelária, seguido por caminhada até a Cinelândia. Em São Paulo, o ato foi marcado para as 9h30 na praça da Sé, na região central da cidade. Na sequência, os participantes devem fazer uma caminhada até a avenida Paulista.

Mais Economia