IPCA
0,1 Out.2019
Topo

Brasileiro trabalha mais de 5 meses do ano para pagar imposto, diz estudo

Do UOL, em São Paulo

03/06/2019 15h09

Os brasileiros tiveram que trabalhar até domingo (2 de junho) só para pagar impostos para os governos federal, estadual e municipal, conforme aponta um estudo do Instituto Brasileiro de Planejamento e Tributação (IBPT). Foram 153 dias de trabalho para pagar toda a carga tributária.

"Se em 2003 o brasileiro destinou cerca de 36% para pagar tributos, hoje isso ultrapassa os 41%", disse a advogada tributarista e vice-presidente do IBPT, Letícia do Amaral.

29 dias para bancar desvios e mal uso de verbas

De acordo com o estudo, ainda está embutido na conta o custo da corrupção.

Dos 153 dias de rendimentos que vão para os cofres públicos, 29 serviram para bancar perdas por desvio e mal uso de verbas.

Menor índice foi de 73 dias para impostos

O IBPT destaca que a carga tributária brasileira foi aumentando ao longo do tempo.

Em 1986, o equivalente a 82 dias de trabalho ao ano eram destinados para impostos. Em 1988, isso chegou a 73 dias, o menor nível registrado na série levantada pelo instituto.

Desde 2017, são 153 dias.

Dinamarca cobra mais impostos

Apesar de a carga tributária ser alta no Brasil, há países onde ela é igual ou ainda maior, aponta a tributarista do IBPT. O problema, segundo ela, é o que o cidadão recebe em troca dessa alta contribuição.

"Muitos países têm números semelhantes e até maiores, a diferença está na devolução desse valor pago em serviços à sociedade", disse Letícia.

A Dinamarca, por exemplo, tem uma das maiores cargas tributárias do mundo: lá as pessoas trabalham 176 dias, quase metade do ano, só para pagar tributos. Nos Estados Unidos, são 105 dias.

Bolsonaro chegou a anunciar corte em IR, mas foi engano

UOL Notícias

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{user.alternativeText}}
Avaliar:

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Economia