IPCA
0,1 Out.2019
Topo

Todos a Bordo


3 aéreas substituem Avianca em Congonhas; monomotor faz SP-Barra (Rio)

Divulgação/Twoflex
Imagem: Divulgação/Twoflex

Vinícius Casagrande

Colaboração para o UOL, em São Paulo

27/10/2019 04h00

Resumo da notícia

  • Passaredo, Map e TwoFlex vão ocupar o espaço deixado pela Avianca Brasil
  • Passaredo comprou a Map logo após a distribuição dos horários da Avianca Brasil
  • Passaredo e Map terão voos para sete destinos com aviões turboélice ATR 72 para 70 passageiros
  • TwoFlex vai voar para o aeroporto de Jacarepaguá com o monomotor turboélice Cessna Grand Caravan para nove passageiros

Três novas companhias aéreas estreiam entre hoje e amanhã no aeroporto de Congonhas, em São Paulo. A Passaredo, a Map e a TwoFlex conseguiram o direito de operar no terminal da capital paulista durante o processo de distribuição das vagas deixadas após o fim dos voos da Avianca Brasil.

A TwoFlex inova tanto na rota como no modelo de avião que será usado. A empresa fará voos a partir de amanhã entre Congonhas e o aeroporto de Jacarepaguá, na zona oeste da cidade do Rio de Janeiro e voltado para a aviação executiva. A nova rota foi apelidada pela empresa de Ponte Barra. Segundo a TwoFlex, a rota "pretende atender o universo de mais de 700 mil moradores da Barra da Tijuca e região".

A empresa vai utilizar um avião turboélice monomotor Cessna Grand Caravan, com capacidade para apenas nove passageiros. A frota da empresa é composta por 18 aviões do modelo. Serão três voos por dia em cada sentido, de segunda a sexta-feira. Por conta do tamanho dos aviões da TwoFlex, a empresa vai operar na pista auxiliar do aeroporto de Congonhas, mas o embarque será pelo terminal de passageiros usado pelas demais companhias aéreas.

"Será um voo panorâmico pelo litoral dos dois Estados de pouco mais de uma hora, que vai atender e beneficiar, principalmente, profissionais e executivos em viagens de negócios entre Rio e São Paulo", afirma Rui Aquino, presidente da TwoFlex.

As passagens da TwoFlex são vendidas pelo site da companhia aérea Gol. Os voos custam mais de R$ 600 por trecho, bem acima do valor geralmente cobrado na ponte aérea entre os aeroportos de Congonhas e Santos Dumont, na região central do Rio de Janeiro.

"Estes voos da TwoFlex enquadram-se em uma operação regional para atender passageiros de uma área distante do centro do Rio de Janeiro que, apesar de possuir um aeroporto, não é atendida pela aviação comercial. Neste sentido, as tarifas praticadas para este voo acabam sendo diferenciadas, e estão de acordo com os valores praticados pela aviação regional", afirmou a empresa em comunicado enviado ao UOL.

Além dos voos para a o aeroporto de Jacarepaguá, a empresa também terá voos de Congonhas para Barretos (SP) e Franca (SP). Apesar de operar um avião menor, o passageiro tem o direito a despachar sem custo adicional uma mala de até 23 quilos, além de uma bagagem de mão de até dez quilos.

Passaredo estreia hoje no aeroporto de Congonhas - Divulgação
Passaredo estreia hoje no aeroporto de Congonhas
Imagem: Divulgação

Passaredo e Map terão voos para sete cidades

A Passaredo e a Map estreiam hoje com voos para Ribeirão Preto (SP), Bauru (SP), Dourados (MS), Macaé (RJ) e Uberaba (MG). Amanhã, a Passaredo passa a voar também para Marília (SP) e Araçatuba (SP).

Durante a distribuição dos voos da Avianca Brasil, a Passaredo recebeu o direito de operar 14 voos diários em Congonhas e a Map ficou com 12. No total, as duas empresas terão, juntas, 158 voos semanais.

Menos de uma semana depois da distribuição, a Passaredo comprou 100% do controle societário da MAP Linhas Aéreas, de olho exatamente nos novos voos em Congonhas. Apesar de ainda operarem com marcas separadas, as passagens dos voos em Congonhas das duas empresas são vendidas somente pelo site da Passaredo.

As duas empresas operam apenas com aviões do modelo ATR-72, com capacidade para cerca de 70 passageiros. Juntas, as duas companhias aéreas têm voos para 35 destinos no país, em todas as regiões do país.

As passagens mais baratas da empresa não permitem o despacho de bagagem. Para levar uma mala de até 23 quilos, o passageiro tem de pagar uma taxa de R$ 60 se o pagamento for feito junto com a compra da passagem. Após a emissão do bilhete, o passageiro só pode adicionar o despacho de bagagem diretamente no aeroporto. Nesse caso, o valor sobe para R$ 100.

Veja mais economia de um jeito fácil de entender: @uoleconomia no Instagram.
Ouça os podcasts Mídia e Marketing, sobre propaganda e criação, e UOL Líderes, com CEOs de empresas.
Mais podcasts do UOL em uol.com.br/podcasts, no Spotify, Apple Podcasts, Google Podcasts e outras plataformas.

Airbus projeta inovações na cabine dos aviões para 2030

UOL Notícias

Todos a Bordo