IPCA
0,51 Nov.2019
Topo

Todos a Bordo


Nova linha Rio-SP: visual de mar e serra, celular pega e avião balança mais

Vinícius Casagrande/UOL
Imagem: Vinícius Casagrande/UOL

Vinícius Casagrande

Colaboração para o UOL, em São Paulo

28/10/2019 16h32

Resumo da notícia

  • TwoFlex fez voo inaugural entre os aeroportos de Congonhas e de Jacarepaguá, no Rio de Janeiro
  • Aérea voa com avião Cessna Grand Caravan, com capacidade para até nove passageiros
  • Avião voa mais baixo e mais lento que jatos comerciais, mas comandante afirma que é uma aeronave segura
  • Voo é voltado para passageiros que moram na região da Barra da Tijuca que podem economizar no deslocamento até os demais aeroportos do Rio
  • Passagem custa a partir de R$ 607 e é vendida pelo site da companhia aérea Gol

A companhia aérea TwoFlex fez na manhã desta segunda-feira (28) seu voo inaugural no aeroporto de Congonhas, em São Paulo. A rota liga a capital paulista ao aeroporto de Jacarepaguá, na zona oeste da cidade do Rio de Janeiro. O voo é feito com o avião monomotor Cessna Grand Caravan. O UOL estava no voo inagural. Veja como é a experiência.

Com capacidade para até nove passageiros, o voo da TwoFlex é o de menor capacidade a operar no aeroporto da capital paulista. A TwoFlex conquistou o direito de voar em Congonhas durante o processo de redistribuição dos espaços deixados após o fim das operações da Avianca Brasil.

Por conta do tamanho do avião, a empresa recebeu a permissão para operar na pista auxiliar de Congonhas. No voo inaugural, no entanto, o controle de tráfego aéreo autorizou a decolagem da pista principal.

Sem comissários de bordo, é o copiloto que oferece uma garrafa de água - Vinícius Casagrande/UOL
Sem comissários de bordo, é o copiloto que oferece uma garrafa de água
Imagem: Vinícius Casagrande/UOL

Sem comissários de bordo e proximidade com os pilotos

O tamanho reduzido do avião gera algumas particularidades para o voo. Ao chegar de ônibus à porta do avião, os passageiros são recebidos diretamente pelos pilotos do voo. É que no Cessna Grand Caravan não há comissários de bordo.

Após acomodar os passageiros no avião, é o copiloto que oferece o serviço de bordo: uma garrafa de água e os mesmos biscoitos presentes nos voos da companhia aérea Gol (as duas empresas contam com uma parceria comercial).

Antes de iniciar o taxiamento, é a vez de o comandante passar as informações de segurança e as condições do voo. Como não há separação entre a cabine dos pilotos e a dos passageiros, basta o comandante virar para trás para conversar com todos a bordo.

Não há separação entre a cabine dos pilotos e a dos passageiros - Vinícius Casagrande/UOL
Não há separação entre a cabine dos pilotos e a dos passageiros
Imagem: Vinícius Casagrande/UOL

Essa proximidade permite que os passageiros tenham uma visão privilegiada. Além de poder acompanhar todo o trabalho dos pilotos, o passageiro tem uma visão de 180 graus ao redor da aeronave, inclusive vendo os aviões à frente na fila de espera para a decolagem.

Avião voa mais baixo e mais lento

Durante o voo inaugural, a reportagem do UOL sentou na primeira fileira do avião. A posição permitia ver em detalhes todos os equipamentos do avião. Após a decolagem, o Cessna Grand Caravan subiu até 9.000 pés de altitude (2.740 metros). Ao atingir a altitude de cruzeiro, o velocímetro indicava 130 nós (240 km/h). Os jatos comerciais chegam a 30 mil pés de altitude (9.150 metros) e velocidade máxima de 400 nós (740 km/h)

Como a velocidade é menor do que a dos jatos, o voo demorou cerca 1h20 desde a decolagem até o pouso (um voo da Gol dura, em média, 45 minutos). Já do início do embarque até o pouso, a viagem demorou 1h45.

Se a viagem é mais lenta, ao voar mais baixo que os demais aviões comerciais a paisagem durante o voo é mais impactante, com um belo visual do mar e da serra. O problema de voar em um avião de pequeno porte a baixa altitude é que a aeronave está mais sujeita às turbulências. Quando o Cessna Grand Caravan sobrevoava a região de São José dos Campos (SP), o ar instável trouxe um desconforto a bordo por cerca de dez minutos.

Cessna Grand Caravan tem capacidade para até nove passageiros - Vinícius Casagrande/UOL
Cessna Grand Caravan tem capacidade para até nove passageiros
Imagem: Vinícius Casagrande/UOL

Avião é seguro, diz o comandante do voo

Quem tem medo de viajar de avião pode ficar mais assustado, mas o comandante Santos, que realizou o voo inaugural, afirma que o Cessna Grand Caravan é um avião seguro. "O passageiro pode ficar tranquilo porque, em média, 20% das nossas operações são noturnas, são com condições adversas de meteorologia e a aeronave é equipada com todos os equipamentos de navegação disponíveis hoje para operação no Brasil. A gente opera com monomotor, mas com todos requisitos conforme qualquer outra companhia aérea", disse.

Com o ar mais calmo, os passageiros aproveitam a viagem como se estivessem em um voo panorâmico, com o celular sempre em mãos para mais uma foto.

O avião da TwoFlex não conta com nenhum sistema de entretenimento a bordo. Porém, como a aeronave voa a baixa altura, o sinal de internet do celular funciona na maior parte do voo.

Passageiros são recebidos na porta do avião pelos pilotos - Vinícius Casagrande/UOL
Passageiros são recebidos na porta do avião pelos pilotos
Imagem: Vinícius Casagrande/UOL

Voo é voltado para moradores da Barra da Tijuca

O presidente da TwoFlex, Rui Aquino, afirmou que escolheu operar voos de Congonhas para o aeroporto de Jacarepaguá para atrair passageiros que moram na região da Barra da Tijuca. "Esse voo é voltado para as pessoas da região que precisam economizar tempo. Ao embarcar em Jacarepaguá, economizam mais de duas horas ao não precisar se deslocar até o aeroporto de Santos Dumont ou do Galeão", afirmou.

O aeroporto de Jacarepaguá é um terminal de pequeno porte voltado à aviação executiva e de helicópteros. A área de embarque, no entanto, tem bem mais passageiros do que se poderia imaginar. Na manhã de hoje, havia diversos voos de helicópteros que prestam serviço à Petrobras para o transporte de funcionários até as plataformas de petróleo.

Ainda assim, o embarque no Rio de Janeiro dá a sensação de que o passageiro está prestes a voar em um avião particular.

Passagem custa a partir de R$ 607

As passagens da TwoFlex são vendidas pelo site da Gol e custam a partir de R$ 607. Nos voos da Gol saindo do Santos Dumont em direção a Congonhas, os menores preços para o mês de novembro são de R$ 236.

"A comodidade e a economia de tempo para chegar ao aeroporto compensam esse valor", afirmou o presidente da TwoFlex.

Nos quatro primeiros voos da manhã de hoje, houve apenas um passageiro pagante. O empresário carioca Rodrigo de Paoli afirmou que escolheu o voo exatamente pela facilidade de deslocamento. "Foi pela praticidade de não ter de se deslocar até o Santos Dumont ou o Galeão. Você chega praticamente dentro do terminal e um aeroporto menor é bem melhor", disse. Paoli afirmou que deve repetir esse voo a cada 15 dias.

O jornalista viajou a convite da TwoFlex

Para ir na janela do avião: veja o pouso em aeroportos com vistas incríveis

UOL Notícias

Todos a Bordo