PUBLICIDADE
IPCA
+0,83 Mai.2021
Topo

Reinaldo Polito

Teleprompter pessoal e app de tempo: tecnologias que turbinam seu discurso

iStock
Imagem: iStock
Reinaldo Polito

Autor de 31 livros que venderam mais de 1 milhão de exemplares, dá dicas de expressão verbal para turbinar sua carreira.

08/03/2016 06h00

Era início dos anos 1990. Eu estava empolgado com o lançamento da minha obra “Técnicas e Segredos para Falar Bem”, publicada pelo IOB. Era um produto relativamente caro, em cinco volumes e totalmente ilustrado. Fazia parte da série TPD (Treinamento Programado a Distância). Para divulgá-lo, programaram para eu fazer palestras em 27 grandes cidades.

Caprichei. Resolvi usar o que havia de melhor em termos de tecnologia: o retroprojetor. E não foi só. Mandei fazer transparências coloridas para impressionar as plateias. Foi uma agitação. Não houve evento com menos de 500 pessoas. Em alguns locais, as plateias ultrapassaram 1.500 ouvintes. O sucesso maior, entretanto, foram as transparências coloridas.

Falar hoje que transparências coloridas poderiam empolgar as plateias por seu caráter tecnológico inovador parece ser coisa do século passado. E é mesmo. De lá para cá, as apresentações passaram a ser apoiadas por recursos tecnológicos estonteantes. Com o aperfeiçoamento dos computadores, o mundo dos palestrantes se transformou.

Em tempos recentes, foram desenvolvidos aplicativos inimagináveis há poucos anos. Em alguns casos, há poucos meses. Selecionei alguns que considero mais interessantes e curiosos para dar uma ideia de como as apresentações podem se valer de recursos da mais alta sofisticação tecnológica.

Para controlar o tempo

SpeakerClock (iOS) e Simple Presentation Timer, para PC

Esta talvez seja uma das perguntas mais recorrentes das pessoas que procuram meu curso de expressão verbal: Polito, como faço para controlar o tempo da minha apresentação? As soluções são as mais diversas. Alguns oradores colocam o relógio de pulso sobre a mesa, ou em cima do pódio. Sem problema. Essa atitude mostra a intenção de cumprir o tempo determinado.

Outros escalam alguém conhecido para ficar na plateia e indicar, com gestos combinados, qual o tempo transcorrido, ou quanto tempo ainda falta para encerrar. Em alguns eventos, os próprios responsáveis pela organização mostram placas avisando o tempo restante. Há ainda aqueles que põem um grande cronômetro visível só pelo palestrante.

Dois aplicativos simples e eficientes podem ajudar nessa tarefa de controlar o tempo: SpeakerClock (iOS) e Simple Presentation Timer, para PC. Tanto um quanto o outro têm finalidade semelhante: funcionar como um timer e orientar o orador sobre o tempo da sua apresentação. São simples e fáceis de usar.

Teleprompter pessoal

Prompster (iOS e Android) e mPrompt (iOS), de Mark Johannessen Consulting

Embora a fala de improviso torne as apresentações mais atraentes, a leitura de discursos é recomendada para muitas situações, como nas transmissões de posse de presidentes, nos eventos em que o orador precisa representar a opinião de grupos, nos pronunciamentos oficiais e nas apresentações de assuntos técnicos.

Nos últimos tempos, as pessoas cada vez mais têm substituído o papel pelo teleprompter para ler os textos diante do público. Um equipamento que permite ao orador realizar a leitura, sem que os ouvintes percebam que esteja lendo. Quando a leitura é bem-feita, dá a impressão de que a fala é de improviso.

Por isso, como a plateia não vê o texto, certos oradores, para dar a impressão de que a fala é improvisada, se valem do teleprompter, ou para ler o texto todo, ou como um roteiro, com algumas frases de apoio. Alguns, como o presidente americano Barack Obama, agem com tanta naturalidade diante do teleprompter que a maioria pensa que eles falam de improviso.

Surgiram agora alguns aplicativos para que o orador tenha um teleprompter pessoal. Dois deles são o Prompster (iOS e Android) e o mPrompt (iOS), de Mark Johannessen Consulting. Os aparelhos permitem ainda que o orador regule a velocidade da leitura. Assim como no caso do teleprompter tradicional, esses aplicativos exigem bastante treinamento para que a leitura possa ser eficiente.

Para troca de telas

Swoosh Presentation Control (Android)

Achei genial a ideia de um aplicativo que muda a tela projetada só com o passar da mão sobre a tela do celular. Quem resolver usar esse recurso precisa estar muito bem treinado. Seria desagradável ficar passando a mão sobre a tela e ter de pedir desculpa para a plateia porque o equipamento não funciona de maneira correta. O aplicativo, muito barato por sinal, é o Swoosh Presentation Control (Android).

Para interagir com a plateia

Poll Everywhere

Talvez esse aplicativo seja dos mais interessantes. Permite que o orador interaja com a plateia durante a própria exposição.  Com o Poll Everywhere é possível que os ouvintes participem ativamente da apresentação, votando para concordar ou discordar de determinada posição, ou dando opiniões a respeito de ideias que estejam sendo expostas.

Além desses que considero mais interessantes, há outros desenvolvidos também para auxiliar as atividades do palestrante. Como o Public Speaking, do HiveBrain (Android), para deixar o orador mais tranquilo com orientações de auto-hipnose e meditações.  E o Infonet Presenter  (iOS), que nas projeções pode substituir o computador pelo iPad.

As novidades surgem a cada dia. É preciso tomar cuidado, entretanto, para não bancar o novidadeiro e fazer uso de equipamentos e recursos só para mostrar que acompanha os últimos estágios tecnológicos.  Há recursos excelentes, que ajudam muito. Há outros, entretanto, que não dizem para que vieram. Se um recurso de apoio aparecer mais que o próprio orador, há algo errado na apresentação.

Por mais simples que possa ser um equipamento, ou recurso para apoiar as apresentações, precisa ser testado exaustivamente. O orador deve se apresentar com domínio total do equipamento. Se tiver dúvidas, ou mostrar hesitações diante do público, o recurso tecnológico irá mais atrapalhar que ajudar.

Superdicas da semana

  • O recurso tecnológico de apoio não pode ser mais importante que o orador
  • Treine exaustivamente o uso de um recurso tecnológico. Só use se tiver domínio total
  • Não use um recurso tecnológico só para mostrar que está atualizado
  • Pesquise bem antes de usar um recurso tecnológico. Observe antes se funciona com outros oradores
  • Há apresentações que funcionam melhor sem recursos tecnológicos

Livros de minha autoria que ajudam a refletir sobre esse tema: "Recursos Audiovisuais nas Apresentações de Sucesso", "Como Falar Corretamente e Sem Inibições", publicados pela Editora Saraiva; e "29 Minutos para Falar Bem em Público", publicado pela Editora Sextante.

Para outras dicas de comunicação, entre no meu site (link encurtado: http://zip.net/bcrS07)
Escolha um curso adequado as suas necessidades (link encurtado: http://zip.net/bnrS3m)

Siga no Instagram: @reinaldo_polito

Polito: evite os ruídos irritantes quando falar em público

UOL Notícias