PUBLICIDADE
IPCA
0,24 Ago.2020
Topo

3 atitudes que você pode adotar agora e impactar muito o seu bolso

Júlia Mendonça

Júlia Mendonça é formada em comércio exterior pela Universidade Positivo. Atuou como planejadora financeira entre 2015 e 2018. Especialista em orientação e planejamento financeiro pessoal, é coach e consultora de finanças, pós-graduada em investimentos, finanças e banking. É influenciadora digital no nicho de finanças e investimentos em um dos maiores canais do assunto na área do Brasil.

08/06/2020 04h00

Começar uma mudança na sua vida financeira não precisa ser demorado, nem difícil. Com poucas atitudes, que você pode realizar hoje mesmo, é possível impactar de forma positiva o seu orçamento. Separei 3 atitudes que são altamente efetivas e podem ser o início de uma nova fase na sua educação financeira.

1. Fazer as perguntas de ouro

Preciso comprar isso? Tenho dinheiro para pagar por isso? Precisa ser agora? Usar essas três perguntas de ouro vai fazer com que você pare de fazer compras por impulso e sem consciência.

Sempre que pensar em comprar qualquer coisa, faça esses questionamentos a si mesmo. Se a resposta for não para uma ou mais dessas pergunta, vire as costas e não efetue a compra.

É comum sermos pegos pela emoção na hora da compra, por aquele momento mágico antes de passarmos o cartão e acabamos gastando muito mais do que deveríamos, muitas vezes em coisas que sequer fazem sentido para nossa vida.

Toda vez que você se questionar com essas 3 perguntinhas, a chance de gastar dinheiro com algo que não faz sentido para você naquele momento acaba diminuindo muito e dessa forma você consegue economizar e focar no que realmente importa para sua vida.

2. Ter objetivos

Se você não sabe para onde quer ir e o que quer alcançar, qualquer coisa está bom. Se não tem um motivo para guardar dinheiro, para manter um planejamento financeiro adequado, fica muito fácil gastar tudo o que ganha.

Não importa o que deseja realizar, o importante é ter um norte e saber aonde quer chegar. Sem direção, fica muito fácil sair do rumo e acabar se perdendo com tantas tentações no meio do caminho. De repente, aquele dinheiro que estava separando para comprar algo que realmente desejava muito acabou sendo gasto com roupas que você mal usa, comidas que você nem lembra o gosto e dívidas que não sabe nem explicar de onde surgiram.

É importante ter um objetivo forte, mas ao mesmo tempo ele deve ser palpável e fazer com que você se motive a guardar dinheiro, nem que seja um valor mínimo todos os meses. Dê um prazo para realizar esse sonho. Sem fazer isso, é fácil ficar adiando o início dele ou sair do foco durante meses.

Por exemplo, você pode ter como objetivo a troca do seu celular daqui a 6 meses, uma viagem daqui 1 ano ou até mesmo a sua aposentadoria daqui 15 anos. Só assim você vai passar a dar prioridade ao dinheiro ao invés de gasta-lo com coisas que o afastam de seus desejos.

3. Realizar planejamento financeiro

A maneira mais fácil, prática e rápida para melhorar as suas finanças é o planejamento financeiro. Somente por meio dele você enxerga para onde estão indo os seus gastos e o que pode fazer para diminuí-los. Só com ele descobrimos o impacto de pequenos gastos recorrentes no mês ou como aquelas comprinhas no dia a dia atrapalham suas finanças.

Planejar suas finanças é muito mais do que apenas colocar os gastos no papel. É dar destino adequado ao seu dinheiro sem precisar sacrificar as coisas de que mais gosta e importam na sua vida. Priorizando o que mais impacta o seu padrão de vida e cortando aquilo que não faz diferença, você consegue ter mais dinheiro para seus planos futuros e uma poupança.

Não tenha medo das contas e da planilha. É muito mais fácil do que você imagina e não é necessário nenhum conhecimento a mais do que a matemática básica. Aqui no blog Descomplique eu já fiz vários artigos ensinando como criar um planejamento do zero.

Tenho certeza de que se você implementar essas 3 atitudes durante os próximos 7 dias, vai começar a colher os frutos dessas ações e aos poucos mudar a sua vida financeira para melhor.

É melhor financiar uma casa ou pagar aluguel? Descomplique

UOL Notícias

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL