PUBLICIDADE
IPCA
0,26 Jun.2020
Topo

Coluna

Descomplique


Veja estas dicas antes de renegociar as suas dívidas, para não piorar tudo

Júlia Mendonça

Júlia Mendonça é formada em comércio exterior pela Universidade Positivo. Atuou como planejadora financeira entre 2015 e 2018. Especialista em orientação e planejamento financeiro pessoal, é coach e consultora de finanças, pós-graduada em investimentos, finanças e banking. É influenciadora digital no nicho de finanças e investimentos em um dos maiores canais do assunto na área do Brasil.

20/07/2020 04h00

A renegociação de dívidas é um grande aliado na vida de quem deseja sair do buraco. Se for bem feita, você pode economizar milhares de reais de uma só vez. Porém, se fizer do jeito errado, a chance de piorar sua situação financeira é grande. Separei alguns pontos que devem ser observados sempre que for negociar seus débitos com o banco.

Peça o cálculo da dívida

A primeira coisa que você deve fazer antes de renegociar é pedir a planilha de evolução da dívida. Isso vai mostrar como ela cresceu com o tempo, desde o começo até hoje. Nesse documento, vai ficar bem claro quais foram os juros cobrados ao longo do tempo. Alguns bancos podem dificultar seu acesso ao cálculo, mas isso é um direito seu e não pode ser negado.

Analise bem o documento para ter certeza de que não existe cobrança de juros abusivos ou de serviços que não deveriam ser cobrados, o que infelizmente é muito comum. Se descobrir algum problema, vale a pena procurar o PROCON ou um advogado. Fica muito mais fácil e justo negociar com o banco sabendo qual era o valor lá no começo da sua dívida e quais foram os juros cobrados pela instituição financeira.

Tenha uma proposta

Antes de renegociar a dívida, faça um planejamento financeiro e descubra quanto consegue pagar por mês na parcela da renegociação sem ficar no vermelho. Se hoje você tem dívidas, é bem provável que nunca tenha feito isso. Não adie essa tarefa e aprenda hoje como montar um planejamento financeiro.

É importante ter bastante dinheiro para fazer uma proposta à vista. Se precisar, faça hora extra ou venda alguma coisa que está parada em casa. Na maioria das vezes o banco vai lhe oferecer um descontão se você tiver dinheiro na hora. Tem que ser firme na negociação. Pode dizer: "Tenho isso de dinheiro agora. Se não quiser, vou oferecer para outro banco".

Para o banco, pode valer mais a pena aceitar essa grana do que deixar você ir embora sem pagar nada. Não caia no impulso de aceitar uma parcela que não cabe no seu orçamento. Muita gente se sente pressionada pelo banco na hora da negociação e aceita qualquer coisa.

Cuidado com a venda casada

Muitos bancos, na hora de fazer a portabilidade, dizem que só conseguem fechar um acordo se você comprar um seguro ou outro serviço oferecido por eles. Essa é a famosa venda casada e essa prática é crime.

Caso você perceba que está sendo vítima de venda casada, não aceite a oferta e denuncie o banco ao PROCON. Leia muito bem tudo o que está assinando, pois muitas vezes incluem esses produtos sem que você perceba.

Feirões são ótimas horas para negociar

De vez em quando as financeiras e os bancos fazem feirões de renegociação. Nessa hora, eles são bem bonzinhos e normalmente você consegue sair de lá com uma ótima oferta para pagar sua dívida. Não é incomum conseguir descontos de mais de 50% na dívida, por isso é muito importante ficar de olho nessas oportunidades.

O problema é que nunca dá para saber quando que esses feirões vão rolar. Tem que ficar atento ao site do seu banco porque isso sempre é informado lá. Na dúvida, comece agora a juntar dinheiro e organizar suas finanças até que apareça a oportunidade de um feirão.

Na luta contra as dívidas vale tudo para pagar menos e sair do buraco. Sabendo usar a renegociação de forma correta você vai economizar muito dinheiro, muito tempo e muitas noites mal dormidas.

Descomplique: Veja dicas para renegociar suas dívidas e sair do vermelho

UOL Notícias

Descomplique