PUBLICIDADE
IPCA
0,24 Ago.2020
Topo

Coluna

Descomplique


Descomplique

Ele(a) gasta demais! O que fazer nessa situação?

iStock
Imagem: iStock
Júlia Mendonça

Júlia Mendonça é formada em comércio exterior pela Universidade Positivo. Atuou como planejadora financeira entre 2015 e 2018. Especialista em orientação e planejamento financeiro pessoal, é coach e consultora de finanças, pós-graduada em investimentos, finanças e banking. É influenciadora digital no nicho de finanças e investimentos em um dos maiores canais do assunto na área do Brasil.

18/08/2020 04h00

Uma das queixas que mais recebo nas minhas redes sociais em relação a casais é sobre o comportamento financeiro do(a) companheiro(a). "Ele gasta demais!" e "Ela não me ajuda a investir!" são frases repetidas sempre que bate a frustração com falta de dinheiro em casa.

Nem sempre é fácil e tranquilo falar sobre esse assunto, porém existem algumas maneiras de falar sobre o tema para que tudo se resolva da melhor forma sem virar uma grande discussão. Separei algumas dicas para que você auxilie seu companheiro a gastar menos e ajudar nas finanças da casa.

Fazer um planejamento financeiro

A primeira coisa a ser feita é um planejamento financeiro. Será que essa queixa é mesmo real? Será que um dos membros do casal gasta mais do que o outro? Fazendo o planejamento financeiro e listando os gastos de ambas as partes é possível tirar os "achismos" da jogada e ater-se aos fatos.

O que percebo é que esse tipo de comportamento não é exclusivo a somente um membro. Ambos têm culpa no cartório. O que acontece, normalmente, é que uma das partes faz compras grandes, como roupas caras ou eletrônicos, enquanto o outro faz várias compras pequenas, mas que no final pesam muito no orçamento.

Quem compra os objetos de maior valor parece gastar muito mais que o segundo caso, o que nem sempre é verdade. Somente um planejamento financeiro bem feito pode responder a essa questão e mostrar com números onde está o furo do orçamento.

Não acuse

Evite acusações, tente se manter solícito e mostre que o problema vai ser resolvido a dois. Ninguém fica confortável quando escuta: "Você gasta demais! Tem que parar com isso! Agora estamos ficando no vermelho por sua causa!". Esse tipo de conversa dificilmente leva a uma solução e na maioria dos casos só piora o problema.

Mostre, com o planejamento financeiro, o que é preciso ser feito para contornar essa situação e evite cobrar uma atitude sem que você esteja disposto a ajudar também. Mostre a importância de controle nos gastos.

Combinem sempre de conversarem antes de fazerem uma compra de alto custo e ambos devem estar confortáveis com isso. Façam as três perguntas de ouro: Precisamos disso? Precisa ser agora? Temos dinheiro para isso?

Tenham um dia para conversarem

Separem um dia no início do mês, de preferência na mesma semana em que recebem o salário, para conversarem sobre o planejamento financeiro. Dinheiro não deve ser assunto somente durante as brigas.

Criem objetivos em conjunto, por exemplo juntar R$ 5.000 até o final do ano ou juntar todo o dinheiro necessário para uma viagem de final do ano. Assim fica muito mais fácil manter-se fiel às finanças e evitar que deslizes ocorram.

O mais importante disso tudo é o companheirismo. Saber que esse problema deve e pode ser resolvido com a ajuda de ambos. Não jogue toda responsabilidade somente para um dos membros do casal. É um assunto delicado e que pode demorar alguns meses até que os efeitos da conversa comecem a aparecer. Tenha paciência que tudo vai dar certo.

Descomplique: Como não deixar o dinheiro acabar com seu relacionamento

UOL Notícias

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL

Descomplique