PUBLICIDADE
IPCA
+0,93 Mar.2021
Topo

Descomplique

OPINIÃO

Texto em que o autor apresenta e defende suas ideias e opiniões, a partir da interpretação de fatos e dados.

Eu amo minhas dívidas

Reprodução
Imagem: Reprodução
Júlia Mendonça

Júlia Mendonça é formada em comércio exterior pela Universidade Positivo. Atuou como planejadora financeira entre 2015 e 2018. Especialista em orientação e planejamento financeiro pessoal, é coach e consultora de finanças, pós-graduada em investimentos, finanças e banking. É influenciadora digital no nicho de finanças e investimentos em um dos maiores canais do assunto na área do Brasil.

03/03/2021 04h00

As dívidas foram as melhores coisas que aconteceram na minha vida. Se você ler este texto até o final, vai entender o que estou afirmando e vai concordar comigo, principalmente se você hoje está no buraco.

Minha história com as dívidas começou há 8 anos. Eu e o Felipe, meu marido, então namorado, ganhávamos muito bem para quem morava junto com os pais e não tinha nenhuma obrigação na vida.

Sem pensar no amanhã

Começamos a gastar dinheiro sem pensar no amanhã. Eu comprava tudo o que via pela frente, viajei para vários lugares, comprei um apartamento, troquei de carro, fiz empréstimo, tudo isso em menos de um ano. Resultado: dívida de R$ 80 mil. Isso aconteceu há 8 anos... atualizando esse valor pela inflação hoje a dívida estaria em R$ 150 mil.

Não foi uma época fácil para mim, e tudo era um sacrifício. Eu passava os dias e as noites pensando em dinheiro e em como arranjar mais grana. Briguei com muita gente por conta de dinheiro, fiz muita besteira quando precisei negociar com gerente, enfim, foi um processo demorado e que me impactou muito, física e emocionalmente.

O medo ensina

Até pouco tempo atrás, eu morria de medo de ficar sem dinheiro e era extremamente conservadora com meus gastos. Pensava 10 vezes antes de comprar qualquer coisa, não viajava mais, só comprava roupa se fosse promoção, isso tudo porque a todo momento me lembrava do que tinha acontecido no passado e como seria fácil ficar endividada de novo.

Porém, hoje percebo que se eu não tivesse passado por isso tudo não estaria onde estou hoje. Eu não teria encontrado minha profissão de planejadora financeira e não teria ajudado milhares de pessoas.

Melhor coisa

Hoje eu sei que se não tivesse passado por isso tudo, por esse perrengue, minha vida ia continuar na mesma. Na verdade, ia piorar, porque ainda estaria enfiada no buraco. Com certeza não seria investidora, continuaria num emprego que eu odiava e que não tinha nada a ver comigo e estaria reclamando de como a vida é difícil e injusta.

Se hoje você está passando por um momento ruim na sua vida, mesmo que não seja um problema financeiro, tenha calma. Se hoje tudo parece sem saída e sem solução, é neste momento que você vai ter que traçar metas, criar objetivos e viver um dia de cada vez.

Tudo tem seu tempo

Não vai ser de uma hora para outra que você vai resolver esse problemão na sua vida. Depois que tudo isso estiver resolvido, tente tirar o melhor da situação e abrace sua nova vida, assim como eu fiz. Quando uma porta fecha, outra sempre se abre.

Não é fácil fazer de um limão uma limonada, mas com certeza todo o esforço para esmagar todos os limões da sua vida de uma vez vale a pena e vai lhe render frutos para o resto da sua vida.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL