PUBLICIDADE
IPCA
1,35% Dez.2020
Topo

Descomplique

OPINIÃO

Texto em que o autor apresenta e defende suas ideias e opiniões, a partir da interpretação de fatos e dados.

A verdadeira liberdade que o dinheiro traz

Getty Images/iStockphoto/RomoloTavani
Imagem: Getty Images/iStockphoto/RomoloTavani
Júlia Mendonça

Júlia Mendonça é formada em comércio exterior pela Universidade Positivo. Atuou como planejadora financeira entre 2015 e 2018. Especialista em orientação e planejamento financeiro pessoal, é coach e consultora de finanças, pós-graduada em investimentos, finanças e banking. É influenciadora digital no nicho de finanças e investimentos em um dos maiores canais do assunto na área do Brasil.

12/02/2021 04h00

Resolvi tirar uns dias da minha rotina de home office para viajar. Estou neste exato momento sentada em uma varanda de frente para o mar escrevendo este artigo e conto isso não para me gabar, mas espere que já vai entender melhor meu comentário.

A profissão que escolhi seguir me proporciona essa liberdade. Posso trabalhar de onde estiver e na hora que quiser. Isso sempre foi algo que sonhava em realizar e acreditava que quando conseguisse ter o dinheiro e a maturidade para poder estar trabalhando em meio a um paraíso eu saberia que tinha encontrado a felicidade. Antes que questione, estamos ainda na pandemia e estou tomando todos os cuidados possíveis comigo e com os outros.

Liberdade

O que isso tem a ver com finanças? Tudo! Passei grande parte da minha vida acreditando que para ter as coisas precisaria me endividar, parcelar tudo e que todos faziam a mesma coisa. Depois de muitas dívidas, caí na real e percebi que não tinha como levar a vida dessa maneira. Resultado: nunca mais fiz dívidas, muito menos para coisas triviais.

Infelizmente, a maioria da população não pensa dessa maneira e continua vivendo no pensamento de "só mais uma parcelinha". Em uma conversa em uma rede social com uma de minhas seguidoras, ela me confidenciou que foi para um resort no litoral baiano, daqueles completíssimos, em 2017. Para isso pegou um empréstimo no banco em suaves 48 prestações mensais. Ela já nem lembra mais quanto tempo falta para quitar, pois decidiu parar de anotar e de colocar na planilha esse empréstimo, porque não saberia como lidar vendo esse valor saindo da conta mensalmente.

Ser rico

Fiquei chocada, estarrecida com essa informação. Mesmo trabalhando com finanças, ainda me surpreendo quando recebo esses relatos. Fico triste pela pessoa, por pensar que não vai conseguir ter nada na vida se não for parcelado e pagando juros altíssimos. Fico triste pela falta de informação e conversa que ainda enfrentamos quando o assunto é dinheiro.

Porém, o que me alegrou dessa história toda foi quando essa moça me escreveu: "Quando viajei parcelando tudo, estava em um lugar e me achando rica. Hoje estou guardando dinheiro para ir com tudo pago ano que vem e não, não quero me achar rica. Sei muito bem o que posso fazer e irei curtir muito mais, pois agora tenho meu dinheiro".

Já fui assim

Quis trazer esse relato um pouco diferente, pois, como contei, estou na praia hoje e trabalhando. Peguei o hotel que eu queria e não aquele que cabia no meu bolso. Não preciso mais ficar olhando o cardápio atrás do valor da garrafa de água e pensando em maneiras de economizar até com isso. Hoje tenho minha liberdade, pois já estive exatamente na mesma situação que minha seguidora me relatou.

Já fui a pessoa que parcelou, que me achava rica, que fazia as coisas e demorava anos para conseguir fechar a conta. O que me fez mudar foi perceber que não é legal viver assim, tendo que ver se o limite do cartão vai dar para pagar pelo almoço. Quando percebi que estava nessa situação, eu simplesmente parei tudo que estava fazendo, abri mão de todo e qualquer gasto que não fosse essencial e foquei em mudar minha mentalidade.

Está tudo bem, mas não é normal

Não estou dizendo que você tem que se tornar milionário, que precisa ter rios de dinheiro para aproveitar a vida. Quero mostrar que você deve curtir, porém dentro de suas limitações. Se no momento não puder fazer algo, entenda essa situação, aceite esse incômodo, essa dor momentânea, porém não se conforme. Faça planos, trace metas, planeje seus próximos objetivos e vá para cima deles.

É bem mais gratificante renunciar a coisas mundanas e momentâneas em prol de uma conquista maior em breve do que ficar pagando caro por algo que ocorreu há anos e você nem se lembra mais da experiência.

Cuidar do dinheiro traz muito mais tranquilidade e felicidade para sua vida do que você consegue enxergar inicialmente. Não espere sua situação chegar a um ponto crítico para começar a fazer isso, assim como aconteceu comigo. Quanto mais cedo, mais rápido poderá aproveitar esses benefícios.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL