PUBLICIDADE
IPCA
0,87 Ago.2021
Topo

Econoweek

Entrevista com Edson Castro: os homens estão investindo direito?

Conteúdo exclusivo para assinantes
César Esperandio

César Esperandio

César Esperandio é economista com ênfase em planejamento financeiro, com larga experiência no mercado financeiro. Já atuou em setores macroeconômicos de bancos e consultorias, além de ter passado por empresa de pesquisas de mercado. Hoje se dedica exclusivamente ao Econoweek, com foco em investimentos.

27/01/2021 04h00

Já somos mais de 3 milhões de investidores na Bolsa de Valores. Disso tudo, 74% são homens, segundo a B3.

Entre todos os brasileiros com CPFs ativos na Bolsa, 56% têm renda média de até R$ 5 mil por mês, 60% não têm filhos, 62% trabalham em tempo integral e mais da metade (51%) vive em alguma cidade do Sudeste.

Embora as mulheres tenham crescido nesse meio, saindo de 179 mil para 809 mil investidoras entre 2018 e 2020 enquanto também ganharam espaço entre os homens (22% do total em 2018 ante 25% em 2020), ainda é o público masculino que predomina tanto em volume investido como em número de investidores.

Mas será que esses homens sabem o que estão fazendo?

Para responder a essa pergunta, conversamos com o Edson Castro do Manual do Homem Moderno no vídeo acima. A conversa foi ótima!

Investindo sem preparo

Infelizmente, muitos estão começando a investir sem ter dado passos fundamentais como a construção de uma reserva de emergência. Se você não sabe o que é isso, confira aqui.

Com isso, ao precisar de parte do dinheiro em alguma situação urgente, correm o risco de terem que vender ações em baixa em busca de liquidez.

"Investir não é para mim"

Segundo a B3, entre 20 e 25% dos investidores "zeraram suas posições" após seis meses do investimento inicial. Isso significa que até um a cada cinco investidores desistiram de investir após esse período.

Mesmo assim, esse número já foi pior. Em 2018, entre 25% e 30% dos investidores desistiam após seis meses.

Como ser um investidor de sucesso?

Para não fazer parte dessa estatística, sempre recomendamos alguns passos básicos, como:

  • Construa uma reserva de emergência correspondente a entre seis e 12 meses dos seus gastos médios antes de ir para investimentos mais arriscados ou com menores liquidezes;
  • Não tenha pressa, pois promessas de investimentos com lucros altos, rápidos e seguros são fraudes que os mais experientes não caem;
  • Prepare-se! Já recomendamos cursos gratuitos de investimentos. Todos são de instituições sérias e reconhecidas;
  • Comece: dar o primeiro passo fará você ganhar confiança e perder o medo. Por isso, inicie com um dinheiro que não vai fazer falta.

Demos muito mais dicas no vídeo acima. Confira!

Qual é a sua opinião? Conte nos comentários ou fale com a gente pelo nosso canal do YouTube e Instagram.

PUBLICIDADE